13/01/2013

A Música: Erykah Badu

(fotografia gentilmente surripiada a Republic of You)

Talvez seja um pouco previsível. Mas, para mim, ultrapassa o óbvio: é inevitável.

A primeira vez que ouvi (e vi) Erykah Badu foi através dum videoclip que passava, na altura, na MTV. Não era a MTV de agora, mas uma que dava vontade de fazer mais e melhor música. Foi algo instintivo: 

"Esta senhora tem muita pinta."

Sempre me fascinou com a sua beleza, a sua presença e a sua atitude. Ainda hoje, acho que é uma das mulheres mais bonitas que já vi, mas, acima de tudo, leva a voz até sítios completamente inesperados e surpreendentes. Para mim, as músicas ditas "perfeitas" têm a ver com a conjugação ideal da letra com a música precisa, como uma dança de elementos elaborados exactamente para aquele momento. É único, é especial, é aquilo. Na minha opinião, Miss Badu faz magia com a maioria das suas músicas.

Confesso que na altura era muito nova para entender todo o universo de assuntos que ela transmitia nas suas letras. Só mais tarde, quando comecei a cantar músicas dela numa banda de covers é que iniciei o gosto particular pelos temas que ela demonstrava. Com uma sonoridade entre o hip hop, o jazz, o funk e o soul, as suas letras variam entre o inconformismo, a atitude activista e o amor incondicional, simples e puro. Desta forma, influenciou todo o meu percurso musical, inspirando-me a pensar por mim, a ser mais original e expressiva. 

No momento da escolha duma música para representar Erykah Badu, divido-me constantemente. Gostava que fosse algo que me identificasse na enorme variedade que ela desempenha e, assim sendo, a minha decisão recai nesta música do primeiro álbum dela. "Appletree" fala sobre as relações interpessoais, mas, principalmente, sobre aceitação e amor por nós mesmos.

Sem comentários:

Enviar um comentário