27/01/2013

A Música: sons para escrever

Tendo a escolher músicas específicas para escrever.

Agora que me obriguei ao hábito de escrever todos os dias, nem que seja só um bocadinho, surge a necessidade de encontrar ambientes propícios para que a inspiração flua. Normalmente gosto de sons específicos, daqueles que me fazem voar até lugares bem longínquos e prefiro aquele Folk generoso que me acolhe nos pensamentos mais positivos.

A minha procura incessante por artistas modestos para satisfazer a minha exigência de compor levou-me ao Grooveshark, onde redescobri músicas que me enchem a alma e desvendei outras que me alimentaram a inspiração.

Foi o caso de Sufjan Stevens, que já não ouvia com atenção há uns tempos valentes e que reacendeu o entusiasmo. Directamente dos Estados Unidos, tem um toque de Beirut (também eles muito bons) com um estilo muito peculiar enquanto toca os mais variados instrumentos: guitarra, banjo, piano, xilofone, vibrafone e oboé, entre outros. A sua particularidade criativa e ideias místicas e religiosas fazem-no um pouco esquisito, eu sei. Mas faz parte das minhas listas para cursos e, sem dúvida, do "top ten" para escrever. Música representativa recomendada aqui.

Uma das minhas artistas favoritas para os devaneios literários é a Regina Spektor, de origem russa e com uma voz que marca profundamente quem a ouve. Com um passado musical, esta cantautora também se dedica a tocar outros instrumentos como a guitarra, o baixo e o piano, pelo qual é mais conhecida. É embaixadora do Indie Folk, mas também incorpora um som bastante jazzístico no seu tom mais cru ou experimental que eu admiro profundamente. Duas músicas dela, uma mais antiga e conhecida aqui e outra mais actual aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário