28/02/2013

Terapias Expressivas: a Gestão de Conflitos

"O homem é livre; mas ele encontra a lei na sua própria liberdade." (Simone de Beauvoir)

De facto, a nossa liberdade acaba quando começa a dos outros e a nossa conduta influencia os que nos rodeiam. Desta forma, muitas vezes nos deparamos com situações de conflito que se revelam muito complicadas de lidar ou reagir.

O conflito, na sua definição, determina-se por uma condição em que dois ou mais intervenientes têm comportamentos hostis perante um desacordo, contradição ou incompatibilidade de objectivos, pensamentos ou sentimentos opostos. Tem uma vertente positiva, na medida em que pode provocar mudança, inovação, motivação, produtividade e qualidade, combatendo o estado imóvel, estático e a ausência de ideias frescas e novas. Ainda assim, é amplamente considerado negativo, já que, na sua maioria, causa stress, ansiedade, tensão, um clima hostil e más relações com as outras pessoas.

Consequentemente, existem alguns tipos de comportamentos prejudiciais para o relacionamento inter e intrapessoal: passivo, agressivo e manipulador. O tipo passivo procura a distância e a sua segurança escondida, o agressivo busca a proximidade como forma de intimidação, enquanto que o manipulador não mostra os seus objectivos nem deixa transparecer emoções, faz tudo pela calada. Emerge, então, o tipo assertivo como o mais acertado, já que concorre na defesa dos seus direitos, interesses e expressa os seus sentimentos e pensamentos duma forma aberta, directa e honesta, sem menosprezar os outros. Uma pessoa com maior assertividade é capaz de simplificar os seus relacionamentos, graças ao respeito que tem por si e pelos outros, à aceitação das opiniões distintas e à abertura ao compromisso e à negociação. Deste modo, consegue ter mais responsabilidade pelos seus actos e ultrapassar as crises com maior facilidade.

A falta de comunicação, assim como a diferença de valores, interesses ou objectivos surgem como causas principais de conflito entre pessoas. Posto isto, é necessário que haja um clima de abertura em que as opiniões são valorizadas pelas suas diferenças, demonstrando interesse por outros pontos de vista. Através duma observação atenta de comportamentos, temos a habilidade de perceber atitudes e coordenar a comunicação verbal e não verbal duma forma afirmativa e coerente.

Para que exista liberdade de expressão é preciso que haja uma gestão positiva dos conflitos. É essencial que consigamos dizer o que nos vai cá dentro, sejam críticas ou conclusões, duma forma realista para que tenhamos modificações de costumes com consequências benéficas para o nosso desenvolvimento.

Sem comentários:

Enviar um comentário