03/03/2013

A Música: Minta (e viagem nas memórias)

(Minta & The Brook Trout © Vera Marmelo)

Ontem tive a oportunidade e o prazer de ver Minta & The Brook Trout ao vivo no Clubbing da Casa da Música.

Foi um daqueles dias cheios: fui ver um filme ao Fantasporto, jantei coisas boas na Conga das Bifanas (agora com uma vertente mais gourmet) e a noite só previa a continuação de massagens cardíacas e risonhas. O sorriso manteve-se quando me deparei com esta banda que tocaram duma maneira tímida, num dos recantos da Casa da Música. Foi especialmente interessante por ter conhecido a Minta, Francisca Cortesão de seu nome, algures na minha adolescência e por ter revisitado essa parte de mim. É engraçado como ainda viajo mais quando escuto música de quem conheço e admiro.
Passemos às apresentações. A Minta é a verdadeira impulsionadora desta máquina, uma escritora e compositora de canções simples e meigas, doces afectos para dias frios e alegres para os dias quentes. Com a ajuda de Mariana Ricardo, Manuel Dórdio e Nuno Pessoa, veste-se com uma sonoridade tipicamente "Indie Folk", de guitarra em punho e com as vozes cuidadas e treinadas. O ukelele, o baixo, a guitarra eléctrica, o lap steel, a bateria e a percussão também fazem parte desta amálgama harmoniosa, onde os sentidos ficam despertos para a honestidade das palavras. Falcon é o tema single e de apresentação do último álbum, Olympia, saído em Setembro do ano passado pela Optimus Discos e que está para download gratuito aqui. Aproveitem também para ver tudo sobre a banda e ouvir os discos online aqui.

Esta semana termina, então, duma forma positiva. Fui a uma entrevista para a AMI e percebi que esta é a altura de lutar por aquilo que quero e que sei fazer de melhor, por um lugar próprio neste mundo "difícil". Voltei ao passado duma forma feliz. Durante a insónia de ontem, revi momentos saudosos e sentei-me na segurança de que estou bem, confiante que o futuro será melhor e que, um dia, quero ser primordial como a Minta.

Sem comentários:

Enviar um comentário