05/03/2013

Remédios Caseiros: o David Fialho

Rico nas emoções sinceras, o David mostra o seu lado mais genuíno e veste o papel duma parte substancial da instituição que representa: o Breyner 85.

Os seus 38 anos demonstram a experiência em cada palavra sentida com o altruísmo que defende. Herdou da mãe o optimismo que caracteriza o sorriso que empenha com orgulho, a apreciação das coisas mais pequenas e simples, uma nutrição emocional que lhe dá força para aguentar os tempos menos bons. Com o pai teve exemplos de liderança, confiança e generosidade e aprendeu a respeitar e a conhecer o verdadeiro valor do dinheiro como uma ferramenta, um meio e não um fim. O caminho mais longo foi introduzido pelos pais, na medida em que lhe deram as asas para que ele pudesse voar sozinho e abriram as portas para que tivesse a chance de ser o melhor que pudesse naquilo a que se dedicava.

A música foi o seu primeiro amor, daqueles que duram para sempre. Começou o seu itinerário na Escola de Música Alberta Lima e sentiu os seus passos reprimidos pelas pontas dos dedos, à frente dum piano que lhe limitou os movimentos. Mais tarde, foi por acaso que teve acesso a uma bateria, barulhos "roubados" às escondidas do irmão e que revelaram a sua verdadeira forma de se expressar, mais emocional. Foi assim que se encantou e aprendeu a tocar sozinho, para se traduzir sem regras ou imposições, de livre vontade e com paixão. Olhando para trás, assume que gostaria de ter oferecido mais do seu tempo à sua música, mas ainda sente que tem um mundo fascinante para descobrir.

Esteve 3 anos no curso de Arquitectura na Universidade Lusíada, mas facilmente se distanciou da ideia que tinha. A fase que passava era de encontro consigo mesmo e não sentia a mesma paixão pela arquitectura que sentia pela música. Depois, ingressou no curso de Som e Imagem na Universidade Católica e especializou-se em Televisão e Cinema. Trabalhou na área da Televisão numa pequena produtora, a Filbox e, apesar de ter gostado da sua primeira experiência em equipa pela familiaridade que lhe facilitou a partilha, percebeu que as longas horas de trabalho eram um passo a mais no desgaste, pois o que realmente importava não era a qualidade, mas a produção, com uma relevância efémera. Posteriormente, entregou-se à edição e realização de conteúdos de audiovisuais dos Casinos e Hotéis Solverde, uma prática muito útil na colaboração de várias pessoas dentro duma empresa tão grande e que lhe abriu o apetite para um futuro mais pessoal.

(Fotografia retirada da página do Breyner)
"Ninguém está nesta vida sozinho; precisamos todos uns dos outros" e o David vale-se disso como o ar que respira. Acredita na amizade como um valor inegável, cresce com todos os que o rodeiam e conta com os amigos até no trabalho. As bandas que teve desde os 17 anos moldaram as suas aptidões e marcaram a sua individualidade, principalmente o extinto projecto denominado como "Legoland", onde contava com os amigos Pedro Santiago, Carl Minnemann, Francisco Menezes e Rui Pina, pessoas natural e intrinsecamente ligadas à sua vida.

A sua bagagem contribuiu para tudo o que faz na actualidade. Uma ideia desenhada primariamente em 2002, o Breyner 85 é a sua casa, o seu trabalho, a sua paixão encontrada depois de tantos anos a sonhar, um espaço que alberga as artes em todas as suas frentes. Com um café concerto, academia de música e atelier de dança, salas de ensaio, um estúdio de gravação e uma esplanada num jardim de fazer suspirar, este é o cenário ideal para o convívio entre profissionais e amantes da música, associado ao ensino integrado de várias áreas fundamentais para que a aprendizagem seja mais completa. O David defende a visão de que antes de saber escrever, cada pessoa já tem contacto com a linguagem, aprende a ouvi-la e a conviver com ela. É sobre este mote que a Academia Breyner assenta a sua voz e tenta criar um novo olhar na educação criativa. Contudo, não faz qualquer sentido desembrulhar esta imagem sem contar a história do David, a força motora que, em conjunto com o seu amigo de sempre Rui Pina, fez com que tudo funcionasse.

As dificuldades puseram-no a par da direcção que gostava de seguir e é isso mesmo que o atrai, o objectivo e a capacidade de construção, o empenho, a dedicação e o espírito de sacrifício. É um homem com H maiúsculo, com um coração que acomoda milhões e ambições tão nobres quanto ele.

P.S. Visitem a página oficial do Breyner aqui e o facebook aqui. Um obrigada especial ao amor patudo da Dolores.

Sem comentários:

Enviar um comentário