28/04/2013

A Música: Coisas que às vezes me esqueço

Hoje tenho o coração tão cheio que é difícil de pôr em palavras. Ainda assim, vou tentar, se bem que este não será um post longo, mas de agradecimento a todos aqueles que fizeram o meu dia mais feliz e sincero.


Ontem foi o dia derradeiro. Confesso que adoro fazer anos: as pessoas lembram-se de mim e o carinho é uma constante inegável. Ainda tive uma depressão matinal a pensar nas coisas todas que gostava de já ter feito e não fiz, pelas promessas que fazemos inconscientemente e que depois acaba por nos sair o tiro pela culatra... mas os mimos começaram a chegar, em ondas de amor indescritíveis.

Depois, foram os pormenores que fizeram a diferença. O almoço com a família, os reencontros com amigos de sempre, a preparação para uma festa que previa algo de épico. Os sorrisos foram a grande máxima. Tive um bolo lindo e delicioso com muitos guarda-chuvas, e muitas prendas que não esperava nem imaginava que ia ter. Mas as coisas melhores foram mesmo os abraços, os risos mais que muitos e a cumplicidade vigente.

A música estava a cargo de outro amigo e não podia ser melhor. Esta foi onde explodi e deixei tudo o que me incomodava na pista daquele sítio que me deu os primeiros passos de dança, há muitos anos atrás. E foi assim, acarinhada e em casa, que me senti ontem em todos os lugares, com todas as pessoas.

A todos vocês: obrigada. Por me fazerem uma pessoa melhor, mais sorridente e feliz. Por me fazerem ser aquilo tudo que vocês dizem que eu sou. Por me fazerem sentir realmente especial e única. Obrigada!

Sem comentários:

Enviar um comentário