16/05/2013

Terapias Expressivas: Discussões Assertivas


Não há nada que possa estragar mais o dia de alguém do que uma discussão acesa, daquelas capazes de mandar a razão às urtigas e as amizades ficarem perto do abismo.

De facto, comunicar com os outros pode ser difícil e até frustrante. Mesmo que as intenções sejam boas, a forma como dizemos as coisas não é eficaz, o que faz com que a mensagem não seja entendida ou seja mal interpretada. 

"Os problemas começam na boca." (Provérbio Chinês)

Da mesma maneira, assim que entendemos quais são os nossos erros, podemos mudar a maneira como comunicamos, tornando-a mais eficiente e competente. Os 4 erros mais comuns na comunicação são:

1. Usar directivas com a segunda pessoa ("Tu" ou "Você"):

"Tu és..." ; "Tu deves..." ; "Você precisa..." ; "Você tem de..."

Estas directivas passam uma imagem de julgamento negativo, e provocam um sentimento de ressentimento ou defesa da pessoa que as ouve, convidando a uma resposta tendencialmente negativa, resultando em conflitos e discussões. Assim, a melhor forma é sempre a usar os comentários positivos ("Você fez um bom trabalho" ou "Tu tens uma boa personalidade") ou neutros, meramente informativos ("Tu foste a 3ª pessoa a chegar").

2. Fazer afirmações universais:

Com a aplicação de palavras ou expressões como "sempre", "nunca", "tão", "outra vez", "novamente" e "toda a gente", estas declarações têm em conta as generalizações negativas acerca do indivíduo  do seu carácter ou personalidade. Para a pessoa que fala, não há qualquer possibilidade do que escuta ser doutra forma e o potencial para mudar simplesmente não existe. Igualmente, as verdades universais apontam para o que está mal, em vez de indicar aquilo que pode melhorar, desencorajando a mudança, tendendo a reproduzir discussões, por vezes muito sérias.

3. Unir a pessoa e o problema:

Todos nós erramos, nalguma altura na nossa vida, por isso, o indivíduo não representa, de forma alguma, o erro que cometeu. O truque é dirigir a atenção do contratempo para outro lado:

"Reparei que desta vez não limpaste a cozinha"

É muito importante o uso de artigos como "e" em vez do vulgo "mas", que desconta o que se falou anteriormente, atribuindo o significado apenas à segunda parte da frase. "Sim, mas..." traduz, na maior parte das vezes, o "não" garantido. Da mesma forma, esquecer o assunto e ser duro com a pessoa pode criar reacções muito negativas, com o cenário provável do receptor tornar o assunto mais pessoal, sentindo-se zangado, ressentido ou resistente.

4. Invalidar sentimentos:

Este erro consiste quando reconhecemos emoções (positivas e negativas) e as minimizamos, ignoramos, descontamos, desmerecemos ou julgamos negativamente:

"Estás a reagir demais"
"Eu tenho um problema muito maior do que o teu"

Por conseguinte, o sentimento positivo que a pessoa tem vai desaparecer certamente, assim como o comportamento a manter ou a força da relação entre os intervenientes, criando-se um ressentimento instantâneo e um desligamento emocional.

Apesar de muitas dificuldades aparecerem a nível profissional, porque não sabemos falar com os nossos patrões, colegas ou subordinados, a verdade é que os problemas de comunicação surgem em todos os momentos, com os nossos amigos e familiares, na nossa vida pessoal, quando estamos cansados de um dia de trabalho intenso e acabamos por descarregar em cima daqueles que nada têm a ver com o assunto. Acima de tudo, é necessário saber-se falar, dizer as coisas com calma e ser eficaz naquilo que se quer exprimir, com a mais valente paciência.

Sem comentários:

Enviar um comentário