27/06/2013

Terapias Expressivas: Glossofobia


O medo de falar em público é muito frequente e comum a muitas pessoas.

A primeira coisa que se exige a nível profissional é uma boa comunicação, já que podemos ter as melhores ideias, mas se não as soubermos transmitir convenientemente, não há muito a fazer. As nossas ideias devem ser "vendidas" como se de um produto se tratasse, duma forma eficaz, harmoniosa, oportuna e pertinente, para que não fiquemos de parte em relação a outros que comuniquem melhor. À semelhança da "selecção natural" de Darwin, o mesmo acontece num contexto profissional, por isso devemos munir-nos de todas as armas que possamos para termos vantagem.

Assim, existem algumas dicas a ter em conta:

- Identificar (e erradicar) a origem do medo. "Foi algo que disse ou fiz no passado e que me deixou a pensar? Porque tenho medo do que as pessoas pensam?"

- Racionalizar o irracional. "Será que existe mesmo a perfeição? E eu sou assim tão aborrecido?"

- Encarar o medo como um desafio. Contemplar estes obstáculos como uma forma de superação facilita todos os procedimentos e pode até tornar-se tentador.

- Ser honesto consigo próprio. Sabemos lidar melhor e até dominar os nossos erros e defeitos, se os soubermos apontar e reconhecer.

- Preparar com alguma antecipação. Mais do que decorar, é necessário saber o que dizer e recorrer ao improviso. A maior parte dos bloqueios surge quando a pessoa se restringe às palavras que escolheu e à ansiedade de se ter esquecido de algumas, ficando desarmada e vulnerável.

- Treinar a "voz", o que se diz e o que se faz com amigos e/ou colegas. Quanto mais vezes soubermos algo, mais fácil será de reproduzir.

- Visualizar-se no discurso. A visualização mental positiva tem efeitos muito prósperos para a confiança e a auto-estima, por isso devemos prever futuros "cenários" positivos.

- Colocar o foco no público, em vez de em si mesmo. É importante sorrir, constituir contacto ocular e fazer perguntas relevantes, elaborando um discurso atractivo.

- Para facilitar este processo, pode-se procurar no público uma (ou mais) caras conhecidas ou alguém que transmita confiança e direccionar o discurso para essa pessoa como se estivesse a falar só com ela.

- Outro truque conhecido é imaginar uma parede entre o público e o palestrante, para que se sinta seguro e consiga transmitir eficientemente as suas ideias.

Os medos devem-se a crenças interiorizadas e completamente irracionais e pessimistas, nomeadamente que o público vai julgar e avaliar o que se está a dizer/fazer, rindo-se e gozando de cada vez que haja um engano, que se vai aborrecer com um assunto desinteressante, ou que a apresentação tem de ser perfeita e tudo depende disso. Todos sabemos que não é bem desta maneira e, por isso, resta-nos seguir estas regras à risca para diminuir preocupações desnecessárias.

Sem comentários:

Enviar um comentário