16/09/2013

A Música: Férias e Moloko

(Moloko © Here There & Everywhere)

Solto um suspiro. Enfim, férias.

Escrevi este texto muito antes, porque queria realmente garantir que estava assim, de papo para o ar, sem nada para fazer. Queria sentir o sol a estalar a pele e o ócio das coisas simples.

Moloko faz-me sempre lembrar de férias, duma viagem longa até ao Alentejo. Foi daquelas viagens de durar uma vida toda, ou antes uma noite que pareceu uma eternidade. Iniciou-se em Coimbra, onde íamos apanhar o autocarro para o Festival Sudoeste. A minha amiga Raquel, sempre distraída com as coisas mais importantes, esqueceu-se de comprar o bilhete com antecedência e, por isso, só poderíamos ir muito tarde, sem ideias de quando chegaríamos.

A decisão foi rápida: road trip. Não sei se foram os copos que bebemos antes de partir ou se realmente não tivemos noção da tarefa à nossa frente, mas eram 4 da manhã e estávamos perdidas numa serra qualquer que se perdeu na memória, e demorámos o triplo do tempo que havíamos preconizado. Tudo isto com apenas duas ou três cassetes no carro, de Toranja, Rodrigo Leão e do álbum "Statues", de Moloko.
(e a música que ouvia o início sempre duas vezes, porque ia a meio quando a cassete tinha de mudar de lado e começava novamente...)



Se estive muito tempo sem ouvir? Logo a seguir, sim. Fui vencida pelo cansaço. Mas o facto é que nunca me esqueci daquela companhia tão doce, da manhã a gritar pela janela esta música ("I Want You", em cima), do sorriso que ela conseguia provocar-me. Com um som altamente dançável, Moloko distinguia-se pela electrónica bem cuidada, e pela química que a dupla representava. A separação dos dois em 2001 sustentou o eventual desmembramento da banda anos depois, não sendo por acaso que todas as músicas de "Statues" tenham um fundamento em romances complicados ou acabados.

Ainda hoje, esse é um dos meus álbuns preferidos e destaco a performance deles ao vivo como uma onda de energia e amor como poucos são capazes de transmitir. Actualmente, a senhora irlandesa Róisín Murphy, vocalista e cheia de graça, continua a fazer as delícias da música pop electrónica a solo, ainda que não tenha captado a minha atenção totalmente como com as músicas que fazia naqueles tempos. Assim, acentuo as minhas favoritas, "Pure Pleasure Seeker" (aqui), "The Time is Now" (aqui), e do álbum referido "Forever More" (aqui) e a tão arrepiante "Over and Over", que ouço literalmente vezes sem conta (aqui). 

Com um mês chato como o de Agosto, em que todos punham fotos das suas férias e a inveja tendia a tomar conta de mim, enquanto elaborava planos para um futuro próximo, sentia mesmo falta destas férias. De acordar tarde, de ouvir a minha música, de brincar com a água e descansar horas sem fim. De deixar o relógio de lado e de ser feliz com aqueles de quem gosto. Tão bom!...

Sem comentários:

Enviar um comentário