27/10/2013

Sinceridade

Adoro aquele sentimento de raça e de poder que a música funk e soul me trazem. Aquela vontade de dizer exactamente o que se pensa sem medos ou restrições.


Talvez seja por ser uma adepta fervorosa da sinceridade. Gosto de pensar que tenho uma ligação directa entre a cabeça, o coração e a boca, dizendo imediatamente o que penso e sinto, sendo até um pouco intempestiva. É o meu maior defeito e a minha qualidade mais invejável. Sei que, por vezes, este facto funciona contra mim, já que a determinação que contenho em dizer as verdades pode não usada nos melhores momentos ou condições, ou pode até ser mal interpretada. Bem sei que quem me conhece bem e gosta de mim pelo que eu sou continua do meu lado, mas tenho perdido algumas pessoas ao longo do caminho pela falta de funcionamento do meu "filtro social". Ganhamos e perdemos...!

Como uma grande inspiração para a semana que se aproxima, esta é uma daquelas músicas duma mulher daquelas que muito admiro, cheia de vontades e de opiniões, sem receios de dizer o que pensa. Boa semana!

2 comentários:

  1. Gosto bastante da palavra raça, talvez por lhe encontrar capaz de açambarcar uma quantidade positiva de actos, sensações, quem sabe, formas de vida. O soul é, entre outras coisas, a sua vocalidade.
    Admiro pessoas que são reais e arraçadas de genuidade e alma na voz. Cantada ou não :)

    ResponderEliminar
  2. :) Mal a escrevi, relembrei igualmente o gosto que tenho por esta palavra, tão cheia de significado :)

    ResponderEliminar