05/11/2013

Trabalhar em casa

É um dilema que me invade eternamente, um daqueles temas difíceis de lidar.

Começo os meus dias sempre da mesma forma, a ler os blogs que me deliciam diariamente. É uma fase nova que tenho tentado incutir a mim mesma, pelo desafio que tenho em manter as coisas organizadas e o trabalho correcto. Sou uma vítima da minha preguiça e sei que isso funciona contra mim e contra a minha produção. Trabalho muito bem debaixo de pressão, mas tenho a plena consciência que essa pressão só é feita por mim mesma e pela minha incapacidade de preparar tempos e destinos bem definidos. Talvez por isso, o tema elaborado pela Catarina Beato no seu blog (que sigo religiosamente) me tenha chamado tanto a atenção.

Sim, trabalho em casa. Ainda pior, tenho um trabalho que não é muito considerado. Dediquei-me a escrever um livro sobre pessoas inspiradoras, sobre condições psicológicas e problemas que não afectam esses meus personagens. Ao invés, lidam com esses encargos duma maneira descontraída e até infantil, como se nada fosse capaz de os atingir. Numa classe tão portuguesa, saudosista, pessimista e sempre ligada ao passado, não é fácil escrever sobre estes temas em que as histórias podem não acabar sempre bem, mas que são sempre afirmativas, seja de que forma for. É ver o carácter positivo que pode ter uma coisa não tão positiva, é dar a volta por cima, algo que, para uma pessoa como eu que vive com os seus personagens debaixo da pele, é bastante desafiante. Porque, cada vez que escrevo uma história nova, tenho de "matar" a anterior e fazer-lhe o luto, levantar-me, lamber as feridas e começar a lutar de novo.

Para além de tudo isto, nado contra a corrente. Tenho ideias e quero concretizá-las, mas o dinheiro para isso é pouco ou quase nenhum. Por isso decidi fazer uma campanha de crowdfunding para publicar o meu primeiro livro, e não desisto enquanto não conseguir. Consigo ainda ter muitas mais intenções para o futuro e garanto que não perco a esperança de maneira nenhuma.

Não, não tenho filhos, e valorizo ainda mais quem os tem e ainda tem tempo ou disponibilidade para deixar um pouco de si a quem lê aquilo que escreve. Ainda assim, trabalho em casa e o tempo parece que se escapa entre os meus dedos, já que os pensamentos também ocupam espaço, e muito. Preciso de elaborar os meus personagens, de lhes dar caras, corpos, almas e sentimentos, com toda a dedicação que isso implica. Lido com muitos preconceitos, mas o que mais me dá luta é o meu, pois quero sempre fazer muito e espero grandes resultados, e quando me deparo com o insucesso, a sensação de fracasso e de desilusão é maior do que os meus braços. 

Sim, trabalho em casa. Os ambientes de estar e trabalho confundem-se, mas tenho maneiras diferentes de os tratar. Faço pausas e arrumo a casa, e ainda dou carinho à minha cadela, que considero como um membro da família. O trabalho caseiro não é uma coisa má, mas é algo que tenho de me habituar, principalmente a considerar que aquilo que faço é realmente um trabalho, sério e respeitado. Tenho de aprender a aceitar os meus próprios tempos, de criação, de produção e de descontracção, pois sei que eles são absolutamente essenciais e têm de ser cuidados. 

Não saio de casa enquanto não estiver de consciência tranquila. Também não tenho um emprego das 9 às 5, pelo que às vezes são 5 da manhã e eu ando às voltas na cama com ideias para escrever. Num ambiente de crise constante (na minha humilde opinião, uma crise especialmente de valores), encaro os tempos correntes como desafiantes e não difíceis, pois quero ganhar, quero vencer. Apesar de tudo, sou positiva e acredito que vou conseguir.

E como este é um daqueles temas que tem espaço para muito mais e o meu tempo é limitado, deixa-me ir ali acabar mais uma história. :)

12 comentários:

  1. Não me apetece culpar as pessoas que compõem este país por tudo e por nada. Contudo, há memórias afectivas e efectivamente preconceituosas que se vêm passando de geração em geração. Depois, quando assumidas, mais difícil é torná-las a perder. Isto porque, entendo quem vive e trabalha no mesmo espaço. Quem precisa de se organizar e organizar o espaço. Dentro do quotidiano de quem trabalho em casa, muitos podem ser os desafios. Uns calculados, outros, perfeitas surpresas. Mas, quando acreditamos em tudo, as opiniões deturpadas que vêm de lá da porta, contam nada. Talvez contem, no primeiro, segundo comentários. Quem não vive num escritório, não atente pacientes num consultório, não defende num tribunal ou, resumindo, não tem a vida que todos se habituaram a ouvir ser a correcta, não trabalha. Enfim. A cada um a sua vida. Senão, aí sim, não há organização que nos salve ;)

    ResponderEliminar
  2. Eu cá acho é que os nossos sentimentos têm de estar bem organizados, assim como as expectativas que teremos. As coisas não mudam, mas a dificuldade diminui!

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que a parte mais complexa no trabalhar em casa é gerir-nos a nós próprios - em termos de tempo, sentimentos, mindset, etc. Pelo menos é a grande dificuldade que eu tenho. É fácil deixar para daqui um bocado, ou para o dia seguinte, seja trabalho ou sejam tarefas domésticas.
    Ao mesmo tempo que acho que é uma das grandes mais valias é sermos "donos" do nosso tempo. :)

    ResponderEliminar
  4. Não é fácil gerir tudo isso, mas cá estamos! :)

    ResponderEliminar
  5. Ultimamente tenho lido muito sobre o trabalhar em casa, ai, o que eu gostava de trabalhar em casa, acho que deve ser maravilhoso, no entanto fico a pensar quando dizem que o espaço de estar é o mesmo de trabalhar, e isso é capaz de ser um pouco complicado por vezes. Desejo-te boa sorte no teu projecto, ainda não fiz o meu contributo, mas vou fazê-lo ;) *

    ResponderEliminar
  6. Não é fácil trabalhar em casa e tens de ser muito disciplinada, senão facilmente te distrais e deixas de fazer aquilo que precisas! Mas vale a pena :)
    (e obrigada pela intenção em participares no meu sonho)

    ResponderEliminar
  7. Eu trabalho em casa há 3 anos, no inicio por necessidade depois aprendi a gostar, e como tudo na vida é necessário adaptação, muita organização de espaço e horário, com tudo isso o sucesso é certo.

    ResponderEliminar
  8. Obrigada também pelo comentário Daniete! :)

    ResponderEliminar
  9. Eu adoraria puder trabalhar em casa! Mesmo..
    http://allaboutmakemehappy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Trabalhar em casa não é fácil, mas prometo que vale bem a pena!

    ResponderEliminar