15/12/2013

#35 . Arriscar

Há 2 meses atrás, decidi arriscar.
O sonho era antigo. Era muito pequena quando o meu avô poeta me começou a incentivar a escrever. O meu primeiro poema foi pensado para a escola, onde me foi pedido para escrever sobre Timor. Durante anos, a minha mãe [que é dura, mas mostra-me com o maior dos orgulhos] guardou-o na carteira, dobrado cuidadosamente para não se estragar. É assim que tanto me estima, quase em segredo.

Tinha eu 15 anos quando me falaram para publicar o meu primeiro livro de poesia, mas achei que era demasiado cedo. Já na altura recorri a um amigo que também escrevia para me fazer companhia, mas a verdade é que as pessoas estavam interessadas em mim e naquilo que tinha para dizer. Fugi e, agora que vejo isso, ainda bem que o fiz. Não estava preparada.

Assim calei este desejo por medo de avançar, de cair em falso. Porém, há dois meses atrás, decidi arriscar. Falei com alguns amigos, fiz contas à vida, juntei aquilo que havia escrito e prometi escrever ainda mais, muito mais. Numa altura em que o desemprego se instalou e os desafios eram mais que muitos, resolvi não cruzar os braços e investir naquele que era um sonho antigo, preservado a sete chaves. E meti-me na aventura do crowdfunding, esperando que as pessoas acreditassem em mim e que me quisessem ajudar, que me quisessem ver voar.

Foram 2 meses difíceis, até porque não gosto de me sentir a pedinchar ou a ser chata, mas era preciso. Tenho uma relação difícil com o dinheiro e houve uma altura, mesmo a meio, que pensei que era só um capricho e que ia desistir disto tudo. Mas a determinação falou mais alto e continuei a nadar, embora muitas vezes sentisse que estava contra a corrente. Aprendi muito a ser mais lutadora e a não desistir, a lidar melhor com as expectativas e a não esperar, mas, principalmente, a dar valor à minha profissão actual, àquilo que escrevia.

Hoje, agradeço do fundo do coração a todos os que me apoiaram. Estarei eternamente grata àqueles que, mesmo sem me conhecerem partilharam a minha história, me reportaram as suas vontades e que me encheram de esperança. Porque o "simples" facto de confiarem em mim faz-me mover com a maior das forças, sentindo que vocês me empurraram para alcançar mais um passo, um esforço em conjunto convosco. E o livro vai sair, graças àquilo que fizeram por mim!

Por tudo isto, OBRIGADA. Valeu a pena.

P.S. Ainda têm umas horas para contribuir, aqui. Aqueles que já o fizeram irão receber os Cadernos da Recompensa até ao final do mês e os livros durante o mês de Março. :)

5 comentários:

  1. Tão bom :) estou ansiosa que lances esse livro e que seja o maior dos sucessos! Sabes que te desejo toda a sorte do mundo **

    ResponderEliminar
  2. Eu como pai orgulho-me desta tua decisão e, como sabes, apoio-te com todo o meu amor. Agradeço a todos que te ajudaram e ficarei eternamente grato. Bem hajam

    ResponderEliminar
  3. Parabéns, Raquel!
    São votos bastante sentidos. Porque me deixa muito feliz ver realizar sonhos. Torná-los efectivos. Passá-los para um outro plano, o plano que lhe é devido. Encontro pontos em comum, entre o meu percurso e o seu.
    Depois do que venho lendo e vendo por aqui, não me restam dúvidas, o trabalho e o amor fazem grande parte do trajecto :)

    ResponderEliminar