31/12/2013

#49 . Roturas e recomeços

Ontem estive a remexer em coisas do passado.
Queria dar-lhes um significado e um final feliz, uma caixa adequada para as guardar num sítio importante. Tenho esta mania. Lembrei-me das coisas menos boas do ano, mas a verdade é que aquilo que me motiva é bem mais forte do que aquilo que me deita abaixo, sem qualquer frase-feita associada. Para saber valorizar as coisas boas tive de aprender a colocar as menos boas de lado e de deixá-las fluir naturalmente, até que fossem apenas memórias. Sofri algumas roturas durante este ano, principalmente na música e nos amigos que tinha. Hoje, alguns meses passados, tenho [finalmente] a certeza que foi o caminho certo.

Isto dos recomeços é algo engraçado, porque, num espaço desconhecido, nos permite ser algo diferente do que já fomos e recriar uma imagem totalmente nova. Não tive de o fazer, porque nunca escondi o que sou e de onde venho. A minha experiência também faz aquilo que eu sou, com todos os defeitos e vivências, todas as marcas e cicatrizes que mostro sem medos ou receios, com muito orgulho.

Para seguir em frente fui obrigada a olhar para trás. A saudade, esse sentimento tão português, nunca me falha, mas aquele sentimento de certeza continua por cá. Seja o que for, 2014 é esperança nas coisas simples, nos sentimentos sinceros. E só por isso já vale muito a pena. :)

P.S. Um ensinamento de 2013 pela querida Catarina e do qual nunca me esqueço: "A vida resolve-se sozinha".

3 comentários: