11/01/2014

#60 . Senhora Menina


Sempre tive uma preocupação excessiva com o cabelo. Ok, também com as unhas. E não é preocupação excessiva, é mesmo uma grande panca de perfeccionismo.
(música para acompanhar aqui)

O facto é que tenho cabelos brancos desde os 12 anos e que, se não tivesse a preocupação de os pintar, já se notaria bastante [principalmente a madeixa "a la" Cruella de Vil que teimo em esconder]. Mas a verdade é que só me sinto realmente velha quando os vejo e que, de resto, me vejo como uma miúda ainda com muito para aprender.

Lembro-me também da altura em que comecei a trabalhar e me fazia confusão quando as pessoas me chamavam "senhora doutora". Até me arrepio só de lembrar. Mas "os meus miúdos" tinham sempre a maneira ideal de o contrariar e recordo inclusive uma vez que um deles disse que não era possível que eu fosse adulta, pois pensava, falava e agia como os mais pequenos. E nem imaginam o que isso me confortou! Talvez tenha herdado esses medos do meu pai, o eterno Peter Pan, mas fico mesmo por quase ninguém me chamar "senhora" e continuarem a insistir na "menina". 

Pinto o cabelo em casa com o melhor e mais intenso dos vermelhos. E desenganem-se aqueles que acham que é uma seca, porque é mesmo absolutamente essencial arranjarmos um tempo só para nós, e é assim que eu vejo essa preocupação. E mais, tenho a desculpa ideal para ser a ruiva mais jeitosa aqui do bairro. :)

4 comentários:

  1. Desde os 12 anos?? coitadinha! eu por acaso ainda não tenho cabelos brancos, se bem que agora tb pinto de vez em quando, no entanto tenho o cabelo super fraco :( já ando a fazer tratamentos e tudo! *

    ResponderEliminar
  2. Bem, tal e qual o meu dia. Cheguei à conclusão que agora tenho mesmo de pintar por necessidade. Já são demais estes brancos. Mas acho que sozinha a pintar dá asneira lol

    ResponderEliminar
  3. Ju: sim, desde os 12 anos! eu pinto desde os 15/16 regularmente e antes era uma chatice e agora até gosto.

    Filipa: não há nada como experimentares um dia, a sério! :)

    ResponderEliminar
  4. Gostos das pessoas azougadas, por força da preocupação delas ser, felizmente, a procura do bem-estar. Não importam, para essa equação, os velhos do Restelo.
    Deste texto, sobressai-me, o banal. Ser, no seu bairro, a ruiva mais jeitosa. Há males, dizem, que vêm por bem :)

    ResponderEliminar