24/02/2014

Dieta das Princesas


Na última quinta-feira à noite fui ao lançamento do livro da Catarina Beato, ali na Fnac do Norteshopping.

Conheci a Catarina e o blog dela através dos meninos do We Blog You, mas também através de outra amiga que temos em comum, a querida Rita, uma sugestão de amigos que decidi seguir. Percebi imediatamente que não há (quase) nada em comum entre mim e a Catarina, por isso foi uma surpresa quando vi a escrita dela, tão cuidada e pormenorizada, que parecia conhecer os recônditos das minhas emoções e explicá-las com a maior das tranquilidades, simples somo só ela sabe ser.


Mais tarde, fomos conversando, fui-lhe pedindo umas dicas e a relação foi-se criando. Somos mesmo muito diferentes, mas há qualquer coisa na sinceridade dela que me atrai profundamente. Penso que a honestidade que a Catarina transmite é única, é fundamental para ser a pessoa que é, para atrair todas as atenções e certificá-las, dar-lhes importância. E é exactamente isso que mais gosto nela, é isso que me inspira.

Na quinta-feira, fui conhecê-la pessoalmente. Finalmente. E eu, que não sou nada de ficar nervosa, não só fiquei com as borboletas a acotovelarem-se na barriga, como com o coração a sapatear no peito, mesmo antes do abraço prometido entre nós. É mesmo muito estranho sabermos tanto sobre uma pessoa que nem conhecemos pessoalmente. É ainda mais estranho admirar alguém tão diferente de mim mesma e saber que, um dia, gostava de ser um bocadinho como ela, com a sua segurança, a sua vontade, a sua força de viver. E surpreender-me com aquilo que ela me escreveu, que me deixou com os olhos mareados (ainda que tenha conseguido disfarçar lindamente).

[Nota especial para a Catarina: as palavras fogem-me. Sabes que não sou nada destas coisas e odeio lamechices. Mas obrigada, do fundo do coração.]

6 comentários:

  1. Raquel, também estou à espera do teu livro para receber um autógrafo :)

    Muitos beijos

    ResponderEliminar
  2. Também estou à espera, alegremente à espera :)

    ResponderEliminar
  3. "E eu, que não sou nada de ficar nervosa, não só fiquei com as borboletas a acotovelarem-se na barriga, como com o coração a sapatear no peito, mesmo antes do abraço prometido entre nós. É mesmo muito estranho sabermos tanto sobre uma pessoa que nem conhecemos pessoalmente."

    Também conheci pessoalmente a Catarina no lançamento do livro (em Lisboa) e tive exactamente a mesma sensação! Um nervosismo feliz e a recepção dela, descontraída e calma.

    Raquel, queremos todos um livro teu! :)

    ResponderEliminar
  4. Sorrisos lindos os vossos :)
    A Catarina é mesmo uma princesa e concordo com ela, estamos todos à espera de receber os teus autógrafos :) *

    ResponderEliminar
  5. A mim, o que me prende a atenção neste post são, claro as fotografias que espelham as palavras, mas é, acima de tudo, a percepção de que gostar-se de alguém, acreditar-se no seu valor, não é um caminho tão estreito como se pode imaginar. Não é, na verdade, um exclusivo de ideias e formas de estar convergentes.
    Que venha o seu livro, Raquel, e os autógrafos :)

    ResponderEliminar