13/03/2014

#119 . Brinquedo

Nunca fui muito de brinquedos, muito menos de guardá-los.

Quando era miúda brincava com os meus primos na rua, que não sendo a mais segura de todas, mas era no bairro onde toda a gente se conhecia e todos sabiam quem nós éramos. Usávamos aquilo que tínhamos para fazer os nossos dias mais felizes e estávamos sempre entretidos com pouco. Passávamos muito tempo na rua a correr e a pregar partidas uns aos outros, até a nossa avó nos chamar pela décima vez e voltarmos para casa com aquele cheiro a terra, a crianças que correm, brincam e vivem até à última gota. Não, não tive muitos brinquedos, mas era feliz.

Este é um brinquedo que herdei dos objectos fotográficos da família do meu maridão e que dá umas experiências bem engraçadas, como se fosse parte de uma ilusão de óptica.

1 comentário: