30/03/2014

São anónimos, mas não são alcoólicos

Antes de mais, é a primeira e última vez que vou falar neste assunto, simplesmente por achar que quem mexe na sujidade fica imundo.

Quem anda "nesta vida dos blogs", sabe que, mais tarde ou mais cedo, vai ter um insulto anónimo.


Para quem não percebe o que isso significa, passo a explicar: é o equivalente à vizinha do segundo esquerdo que sabe tudo da nossa vida, que sabe as horas exactas a que chegamos a casa e que faz os comentários mais inusitados sobre nós, que só sabe falar mal. É a pessoa que fica descansada com as nossas desgraças e que só é feliz depois de ver todos os que a rodeiam no pior estado possível. Portanto, só fica bem com o mal dos outros. E pior, esconde-se atrás do anonimato, é uma pessoa sem nome, um rosto sem cara.

Ora, ontem tive o meu primeiro comentário anónimo, de uma pessoa que não gosta de mim, ou antes, duma pessoa que não gosta mesmo nada de mim ou daquilo que eu faço aqui. Gosto de pensar que isto é o nível seguinte e que só atinjo esse nível depois de ter muitas outras pessoas que gostam de mim, por isso parece-me o passo seguinte. Mas não deixa de ser mau, não deixa de magoar, pois é exactamente isso que esses anónimos querem: magoar. Pegam em alguma das nossas características e que acham que é um defeito e limitam-se a rebaixar. É triste, mas é assim.


Podíamos entrar aqui numa data de projecções e teorias, de que não dá para entender como é que as pessoas têm tempo para falar mal de algo que não gostam, que se realmente não gostam, não devem ver e seguir em frente, mas a verdade é que isso não muda os factos. Enquanto estivermos a fazer algo para o Mundo, vão existir pessoas que não gostam, que têm inveja, ou que simplesmente têm prazer em criticar. Não vamos agradar a toda a gente, há que aceitar que é a ordem natural das coisas.

Cada um está no seu direito de ter a sua opinião, de gostar ou não do que quer que lhe agrade. É feio criticar sem filtros, é horrível dizer mal apenas por dizer, mas estão no seu direito e são livres de o fazer, sem dúvida. No entanto, este é o meu espaço, um que só diz direito a mim e àqueles que gostam de mim e do que eu escrevo. Não é um espaço público, é meu. E por isso sigo as minhas regras. Da mesma maneira que não tenho ninguém em minha casa que eu não goste e que não gosta de mim, é essa a regra que tenho no meu espaço, nem que seja virtual. A nossa liberdade acaba onde começa a liberdade do outro.

Eu tenho um nome pomposo para as pessoas que se escondem atrás do anonimato para fazer comentários feios: bullying virtual. E essas não têm lugar aqui.

18 comentários:

  1. Aconteceu-me o mesmo há dias, pela primeira vez - que tenha memória - em quase 9 anos de blog.
    A fineza do anónimo foi tal que veio até ao PpM deixar um comentário a uma partilha que eu tinha feito no fb, onde guardar o anonimato é mais complicado, a não ser que se use um perfil falso. E mais... o comentário que foi só pode ter vindo de uma mulher que falou no masculino para disfarçar.
    Rebuscado, não?
    Mas como eu costumo dizer: o universo traz-nos aquilo que levamos aos outros, o que não é muito auspicioso para esta pessoínha... E aqui vai acontecer o mesmo! :-)

    ResponderEliminar
  2. Também já me aconteceu a critica sem filtro, de uma forma mesmo muito mal educada a diferença é que o senhor deu a cara e não se escondeu atrás de um anonimato. Mas magoa da mesma forma.

    O que me faz mais confusão é PORQUE É QUE NOS SEGUEM SE NÃO GOSTAM?

    Sinceramente acho que essas pessoas são muito infelizes só podem!

    ResponderEliminar
  3. Se é anónimo que fique assim... Nada mais a dizer... Beijos

    ResponderEliminar
  4. Raquel,
    cada um dá o que tem

    uns dão mesquinhez, inveja, baixeza, covardia

    outros dão sorrisos, boa energia e disposição

    Um xi ;)

    ResponderEliminar
  5. Patrícia: só podem ser mesmo muito infelizes, mas não é nada que me preocupe! ;)

    Pai: é muita cobardia.

    Maria Isabel: má onda, aqui? nem pensar! ;)

    ResponderEliminar
  6. também já tive alguns e com ameaças inclusive (aquele malfadado post do dux). mas como diz uma amiga minha: "a blog without haters isn't a true blog". ;)

    you go girl!

    ResponderEliminar
  7. Quando precisam de se esconder atrás de perfis anónimos, diz tudo! :)

    ResponderEliminar
  8. Rui: acredito nisso plenamente!

    Mafalda: isso quer dizer tudo. :)

    ResponderEliminar
  9. Raquel, aborrecem-me os desavindos que convivem mal com o todo. Que perpetuam a infinita incapacidade de gestão do que são e do que vivem, sobre o todo que os rodeia. Aqui, como na vida, faz parte, dizem. Aceito, contudo, não compreendo que percam a identidade para maçar quem vive de bem e por bem. Por fim, eu gosto, inclusivamente, de tratar-te por tu! :)
    Continuação.

    ResponderEliminar
  10. Olá Raquel,

    Estava a ler este post dos Trolls:

    http://www.maiswebmarketing.com/sabe-o-que-sao-trolls-o-que-fazem-nos-blogs/?utm_source=e-goi&utm_medium=email&utm_term=Sabe%20o%20que%20sao%20Trolls?&utm_campaign=Eventbrite%20-%20miguel.brandao@maiswebmarketing.com

    e lembrei-me deste teu post dos anónimos, acho que faz sentido.

    ResponderEliminar
  11. Essas pessoas têm carência, muita carência, quero acreditar. De amor? Pois muito provavelmente.
    Já tive uns quantos...a maioria até afavelzinha, pessoas que não tiveram coragem de usar a sua conta habitual para me dizer: "olha, o vestido está um pouco amarrotado, não parece bem" ou "olha, a alça do soutein está à vista e não é lady-like".

    They'll always be there... Espero que no futuro sejam pessoas mais felizes e cheias de amor.

    Um beijinho,
    Sara Levy

    ResponderEliminar
  12. Sara: tenho pena dessas pessoas, só isso. :)

    ResponderEliminar
  13. Volta não vira também eu recebo um miminho "desses"; é ignorar e andar.
    (recém-chegada aqui e a adorar)

    ResponderEliminar
  14. Imagino que não seja fácil. Acho que reagiste muito bem a isso com o que escreveste. Eu não sei como reagiria, espero não ter que descobrir. Ando por cá (pelos blogues e pelo teu blogue) há pouco tempo e adoro a tua criatividade. Quem não gosta não precisa de cá vir. É tão simples quanto isso!

    ResponderEliminar
  15. Olá Raquel.
    Tenho o teu blog nos meus favoritos, mas sinceramente nem sempre o visito por motivos de muito trabalho.
    Agora, que esta altura do ano está mais calma, finalmente estou a ler com mais calma os teus conteúdos. :)

    Sou o Miguel Brandão do blog de Marketing Digital www.maiswebmarketing.com

    E vi que tens tido uns Trolls :)

    Primeiro de tudo queria agradecer à Maria Helena( http://twodotwo.com/) por deixar aqui a referência ao artigo do meu blog.
    Segundo, obrigado por teres gostado! Espero que tenha ajudado de alguma forma :)

    Sobre este assunto dos Trolls, já nem perco tempo... Simplesmente já ignoro e passa-me ao lado.

    Sabes que quando começamos a crescer, a inveja começa a aparecer!

    É como tudo na vida, no offline é exatamente a mesma coisa ;)

    Portanto Raquel, siga... Em frente!

    Abraços.

    ResponderEliminar
  16. Oh, Raquel, eu vivo num segundo esquerdo, mas sou talvez a vizinha mais despassarada que existe... :D Estou só a brincar! Descobri-te através da Mariana, a Miserável, que adoro, e tenho andado a descobrir, aos poucos , este teu espaço. Só hoje li este post e vim só aqui dizer-te que cada vez gosto mais de ti ;) Estes anónimos não valem mesmo nada a pena. Continua a mostrar o teu sorriso e os teus óculos que são lindos!

    Inês (www.paperlovetoys.com)

    ResponderEliminar