22/04/2014

Terapias Expressivas: a Pré-ocupação

A própria palavra já diz tudo, a preocupação é uma ocupação antecipada, completamente fora do tempo.

De facto, pode ser útil para resolver um problema, excepto quando nos preocupamos com cenários hipotéticos ou catastróficos que vivem na nossa imaginação, dúvidas e medos irracionais. A preocupação pode afectar o sono, a concentração, a alimentação e o humor, já que condiciona fisicamente o indivíduo que a sente. Por outro lado, os pensamentos ansiosos fundamentam crenças que se podem tornar negativas e, desta forma, a preocupação é o próprio problema e não a solução.

Existem, no entanto, algumas estratégias para evitar a ansiedade prematura:

1. Aceitar a incerteza
As pessoas preocupadas precisam de saber antecipadamente e a 100‰ aquilo que vai acontecer. É necessário aceitar que não é possível prever o futuro e que pensar no que pode correr mal não vai fazer com que a vida corra bem.

2. Criar um momento para a preocupação
É difícil ser-se produtivo e funcional quando estamos atentos às preocupações, mas, ao mesmo tempo, negá-la e fingir que não existe não resulta em nada, sendo preferível adiar o momento. Desta forma, deve existir:
- Estabelecer um período específico para a preocupação, com horário definido e com um lugar que deve ser sempre o mesmo (distante da hora de dormir e o resto do dia é livre de preocupações)
- Adiar as ansiedades para essa hora, escrever a preocupação num papel e deixá-la para depois, continuando com os horários normais
- Verificar a lista de preocupações conforme for passando o tempo, pois, muito provavelmente, as coisas deixam de ter a importância que tinham inicialmente

3. Desafiar pensamentos negativos
A ansiedade faz-nos ver o Mundo duma forma mais negativa do que ele é na verdade, já que as atitudes pessimistas causam distorções cognitivas. Assim, é necessário combatê-las e contrariá-las, evitando:
- Pensamentos "tudo" ou "nada", preto ou branco, sem meio termo - "Se eu não for perfeito, sou um fracasso total."
- Generalizações soberanas - "Nunca vou conseguir"
- Desvalorizações daquilo que é positivo - "Consegui, mas foi sorte"
- Conclusões precipitadas e interpretações positivas, sem provas concretas - "Eu sei que aquela pessoa me odeia"
- Pensamentos catastróficos ou o pior dos cenários
- Raciocínio emocional - "Tenho medo. Vou morrer!"
- Regras do tipo "Eu tenho de" ou "Eu nunca posso"
- Rotulagem - "Sou um perdedor"
- Personalização ou assumir responsabilidade por coisas que estão fora do seu controlo

4. Aprender a relaxar
A ansiedade é mais do que um sentimento, é uma resposta que se sente fisicamente, como uma reacção de "lutar ou fugir" a uma ameaça - o coração bate mais forte, a respiração é mais rápida, os músculos estão tensos e há uma sensação de tontura. No período de relaxamento, porém, acontece exactamente o contrário. Assim, a prática regular de técnicas de relaxamento, como o relaxamento muscular progressivo, a respiração profunda e a meditação podem ajudar a desbloquear certas preocupações.

5. Cuidar de si mesmo
Um estilo de vida saudável e equilibrado é meio caminho andado para contrariar as preocupações. Nisto, inclui-se os hábitos alimentares saudáveis, as actividades de lazer e o exercício físico, como as caminhadas, as corridas e os jogos colectivos. Mas não só. O Homem não vive sozinho e, por isso, é menos vulnerável se estiver com pessoas, sendo particularmente importante o suporte da família, dos amigos ou, em último caso, a ajuda profissional.

Acima de tudo, é necessário entender o que é uma preocupação normal, e aquela que é excessiva e que nos afecta negativamente, capaz de nos prender e limitar na felicidade. Vivemos num Mundo em que a preocupação crónica é um hábito e, por isso, urge a importância de ver a vida duma perspectiva mais positiva.

E vocês, há algo que vos preocupa de forma limitativa? E que fazem para contrariar?

12 comentários:

  1. É incrível como mal comecei a ler este post pensei logo na minha condição limitativa. Há algo bem presente na minha vida que é uma preocupação excessiva, que me limita e que me leva a criar pensamentos negativos... Uffff... E como se eu não soubesse isto tudo, não soubesse combater. Mas ainda assim... :/

    ResponderEliminar
  2. Gostei deste post! Não sei muito bem porque, talvez seja a veia de Psicóloga a funcionar... Mas a verdade é que as vezes é mesmo preciso ler isto de novo! Tomar consciência daquilo que somos :)

    ResponderEliminar
  3. Obrigada! :) a minha veia de psicóloga também aparece, nem que seja só de vez em quando ;)

    ResponderEliminar
  4. (E há mesmo coisas que, apesar de sabermos o caminho de dar a volta, são difíceis de ultrapassar!)

    ResponderEliminar
  5. Primeiro respiro fundo 3 vezes e depois tento afastar pensamentos menos bons, levando a minha mente para pensamentos bons ou mantenho me ocupada.
    Um post interessante, penso q poderias postar mais sobre psicologia, trazes aspectos mto importantes para reflexao da vida diaria.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada Marta! :) na verdade tenho muitos temas aí de psicologia, é só seguires as terapias expressivas! São é posts que demoram o seu tempo por isso é que são mais afastados no tempo :)

    ResponderEliminar
  7. Novamente bem escrito e sempre oportuno. Cuidados com o que dizemos "ser" e viver o HOJE são realmente grandes ajudas. Parabéns e beijos

    ResponderEliminar
  8. Entre o todo que és, e que fazes deste blogue, também por conteúdos tão pertinentes como este, me fazem visitar-te sempre!
    Depois, as palavras certas, abrilhantadas pelas fotografias especiais. Beijo :)

    ResponderEliminar
  9. Obrigada Real! É um prazer ter-te sempre desse lado :)

    ResponderEliminar
  10. Há uns dias escrevi sobre isso da ansiedade aqui: http://maletasemnome.blogspot.pt/2014/06/ensaio-sobre-ansiedade.html

    Sei bem o que é estar ansiosa e acho que vou aprendendo a arranjar estratégias para evitar esse estado ou para, estando ansiosa e preocupada, saber lidar com isso.

    Reconheço-me no que escreveste: Medo, preocupações sem sentido, coração acelerado, tendência para extremismos e ver o lado negativo das coisas...

    O que faço para lidar com isso? Escrevo. Leio. Fotografo. Corro. Passeio com os cães. Namoro. Procuro os amigos e a família. Penso. Racionalizo. Descomplico. Desconstruo os pensamentros, os medos, as emoções. Reflito. Respiro fundo as vezes que forem precisas. Por fim relaxo e deixo-me levar... lembro-me que a vida é demasiado curta para levarmos demasiado a sério. E pronto, é isto! :D

    ResponderEliminar
  11. a ler e a reler porque vale mesmo a pena :)

    ResponderEliminar