07/05/2014

[UK Tour] Cotswolds #1

(Bibury)

Já devem reparado. Quando vou de viagem, gosto mesmo muito de tirar fotografias.
A verdade não se dirige ao facto de querer relembrar os sítios que visitei, mostrar onde estive, ou ainda, partilhar aquilo que fotografei. A verdade é que é uma tarefa muito egoísta, um momento que tenho só para mim, que aprendi a usufruir como aquele instante em que aquilo que vejo é "meu", captado pelos olhos da alma e imortalizado pela fotografia. É poético, mas acreditem que é mesmo isso que penso. Por isso, quando vou de viagem, as fotografias representam os momentos que gostei de guardar para mim.

Esta viagem, por seu lado, foi exactamente aquilo que precisava para perceber a importância dos detalhes e, assim, está carregada de fotografias disso mesmo. Não considero perda de tempo, muito pelo contrário, é o acto de observar as coisas duma forma mais especial. E há sítios tão bonitos que só justificam todo este gasto. :)

(Burford)

Ainda no primeiro dia (15 de Abril) e saídos de Oxford depois do almoço, dirigimo-nos à zona de Cotswolds, palco dos primeiros dias planeados e razão da minha maior curiosidade nesta viagem. Como também já devem ter reparado, sou fã do campo e das zonas mais verdes, mas também dos ambientes mais pitorescos e esse era mesmo o centro das minhas atenções para esta viagem. 

Todos os mapas indicavam o início em Burford e assim começámos a aventura de conduzir ao contrário até lá. Chegados a Burford, deparámo-nos com uma rua principal muito bonita e exactamente aquilo que diziam sobre o sítio. Mas também nos deparámos com o primeiro estacionamento hilariante e capaz do maior dos ataques de riso, paralelo aos olhares assustados e algo reprovadores das pessoas que passeavam nessa rua principal. Sim, foi engraçado. 





Já que diziam ser a entrada de Cotswolds, pedimos um mapa em Burford para estabelecermos prioridades. Depois de analisarmos algumas perspectivas, resolvemos recorrer àquilo que nos soava melhor e fomos até Bibury, pois tínhamos ouvido falar que era um sítio mesmo bonito. 

Uma pausa para uma breve explicação: no campo britânico não existem sinais, por isso nunca se sabe bem para onde se vai, adivinha-se. Agora adicionem isso ao "receio" de conduzir ao contrário um carro parecido com uma banheira que, por razões de poupança extrema (ou antes, pobreza), decidimos não assegurar. Pois, é isso. 

Fomos, com sorte, parar a um caminho privado de um hotel e, com a maior das latas que é característica dos portugueses, fizemos de conta que era mesmo esse o nosso plano. A verdade é que reparámos numa das paisagens mais bonitas que já havíamos visto e não conseguimos fugir, e assim tivemos direito a represa, árvores com baloiços, uma família a fazer picnic num campo verde-quase-sem-fim e o silêncio da tranquilidade. E aqui foi a primeira vez que me senti a parar. [só depois é que percebemos que era um hotel famoso e bem conhecido na zona]






Apercebendo-nos que o tempo estava a começar a apertar, dirigimo-nos a Lower Slaughter, pois tinha sido algo que eu tinha visto que valia a pena. Assim fomos encontrar um sítio muito bonito, com casas maravilhosas e o ambiente mais pacífico, sendo, por isso, escolhido como estância para pessoas mais velhas. Este foi o lugar onde fiquei com vontade de pintar a porta da rua daquele azul e onde tivemos o primeiro contacto com as ovelhas, que estavam mesmo ao lado do moinho.







De seguida, fomos até Bourton-on-the-Water, conhecida como a Veneza de Cotswolds, por se dividir por um canal que dá o ar da sua graça. Como fomos já a apanhar a luz do final da tarde, pudemos também observar que as pessoas aproveitam o sol até à última gota, usufruindo dos parques, sentados na relva e sentindo o tempo passar sem problemas.





Por fim, acabámos o dia a jantar num pub bem típico em Stow-on-the-Wold, onde comemos maravilhosamente e nos sentimos em casa, deixando as fotografias para depois. Um primeiro dia a deixar água na boca, não acham? :)

13 comentários:

  1. Adoro cada fotografia que tiras. O toque meio vintage meio analógico que lhes dás ainda as tornam mais bonitas e mágicas :) E agora deixaste-me cheia de vontade de conhecer a Inglaterra campestre... que delícia! *

    ResponderEliminar
  2. Eu sou completamente o oposto! Em viagens é raro tirar fotografias.. Acredito que capto melhor o momento se estiver sem lentes. São manias, são opções.
    Mas confesso: ainda bem que gostas. E que me dás estes privilegio: são lindas as tuas fotografias! Lindas lindas lindas!!

    ResponderEliminar
  3. bem .. a vontade de ir a correr para Bibury é enorme! estás a deixar-me mesmo ansiosa pela minha viagem para as terras da rainha, e eu nem vou para o campo! :P mas quero mesmo muito visitar estes lugares encantados .. quase que chorei a ver as fotografias de Oxford, fui muito feliz lá. Obrigada por partilhares fotos tão bonitas.

    Fico à espera dos próximos capítulos <3

    ResponderEliminar
  4. Para a semana prometo lançar 2 capítulos, para essa história não se alongar para sempre ;)

    ResponderEliminar
  5. Que sonho de lugar e que fotos bonitas! posso partilhar no pinterest?

    ResponderEliminar
  6. Adorei as fotos e o texto que as descreve tão bem, que parece que nos transporta para lá. Ai que saudades ... :)

    ResponderEliminar
  7. Obrigada tia! :)
    Teresa, eu até me tenho esquecido de partilhar no Pinterest, mas prometo que vou fazê-lo hoje mesmo :)
    Lígia: Obrigada!

    ResponderEliminar
  8. Percebo perfeitamente essa tua necessidade de desfrutar do acto de fotografar. De enquadrar um ou outro pormenor. A mim, faz-me todo o sentido. Depois, não fosses tu detentora de uma feliz e capaz mão para a fotografia e incapaz de te negares a um pormenor, e perdíamos estas encantadoras fotografias. Gosto :)

    ResponderEliminar
  9. Gosto tanto de te ler!! e de sonhar através das tuas fotos :) temos que nos encontrar para conversar sobre o campo em Inglaterra ;)

    ResponderEliminar
  10. Céus, eu era tão feliz aqui - ia passar a vida atrás daquela carrinha de gelados!

    ResponderEliminar