24/06/2014

O 12 foi a Lisboa

[fotografias: Joana Afonso (instagram, blog),  Joana Diogo (instagram, blog), Marta Moncacha (instagram, blog)]

Neste último sábado fui até Lisboa contar a história do meu 12. Para muitos, seria mais uma volta nesta roda gigante de apresentar o livro, mas, para mim, foi algo muito especial.

Para aqueles que não sabem, houve uma altura em que decidi que iria viver em Lisboa. Estava a precisar de uma mudança radical na minha vida e queria estar mais perto dos muitos amigos que por lá criei. Não correu bem e meses depois voltei para o Porto, coincidindo com a altura que conheci também o meu Pedro e decidi ficar por aqui. Mas os amigos ficaram para sempre, porque aqueles que são verdadeiros nas emoções nunca passam sem ficar.

No sábado, era isso que esperava para a apresentação do meu livro, que os amigos e a família fossem lá ver-me, saber do que tinha para contar com o 12. Aliás, como desde o início desta aventura, não estava à espera de grandes "ondas" ou de nada mais do que os amigos e a família. A verdade é que o amor que por lá corria era tão grande e tão bom, que me toldou as palavras, que me deixou com tanta vontade de falar, mas sem saber o que dizer, pois há palavras que ainda não têm o significado que aquela tarde teve.

[fotografias: Diana Matos (instagram), Vanda Teixeira (instagram), Joana Alves (instagram)]

Felizmente, este blog mudou-me a vida. Passo aqui todos os dias, nem que seja só para ver como ele está. Tornou-se um amigo confidente, a minha segunda casa, onde passo grande parte dos meus dias em planos para o futuro. Com ele, reaprendi aquilo que gosto de fazer, o contar histórias, o escrever detalhes, o ser feliz junto com os meus sonhos. Através dele conheci novas pessoas, criei novos amigos, fomentei essas amizades, dei-lhes espaço para que elas crescessem, fiquei triste com as suas derrotas e muito feliz com as suas conquistas. É estranho "isto dos blogs". Primeiro estranha-se, depois entranha-se e rapidamente somos uma grande família.

Foi por isso que no sábado a minha alegria era mais do que muita. Por estar a concretizar algo que me faz feliz, por acreditar nos sonhos com todas as minhas forças e nunca desistir, mas, acima de tudo, por poder partilhar isso com as pessoas que fui cativando. Tinha os sorrisos reflectidos no meu, tinha os olhos brilhantes da plateia a indicar-me o caminho certo a seguir, tinha os sonhos de todos a começarem a fazer sentido, porque eu arrisquei no meu.

"Mas a raposa voltou a insistir na sua ideia:
- Tenho uma vida terrivelmente monótona. Eu, caço galinhas e os homens, caçam-me a mim. As galinhas são todas iguais umas às outras e os homens são todos iguais uns aos outros. Por isso, às vezes, aborreço-me um bocado. Mas, se tu me cativares, será como se o sol iluminasse a minha vida. Distinguirei, de todos os passos, um novo ruído de passos. Os outros passos fazem-me fugir para debaixo da terra. Os teus hão-de chamar-me para fora da toca, como uma música. E depois, olha! Estás a ver, ali adiante, aqueles campos de trigo? Eu não como pão e, por isso, o trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me fazem lembrar de nada. E é triste. Mas os teus cabelos são da cor do ouro. Por isso, quando me tiveres cativado, vai ser maravilhoso! Como o trigo é dourado, há-de fazer-me lembrar de ti. E hei-de amar o barulho do vento a roçar no trigo…"

- O Principezinho

[fotografias: Ana Almeida (instagram, blog), Carla Rocha (instagram, blog), Marta Moncacha (instagram, blog)]

Obrigada à minha família do coração, os Santos Costa, que me alojou tão bem e que me acarinhou como se fizesse parte deles, como sempre.
Obrigada à Livraria Ler Devagar, que me acolheu tão prontamente e que garantiu que era o melhor espaço para eu apresentar o meu 12 em Lisboa.
Obrigada à Inês, a minha amiga de muitas vidas que me empurrou para isto e que me ensinou a dar o salto para os meus sonhos. 
Obrigada à Catarina por se rever em mim, na minha história e nas minhas palavras, que esteve ao meu lado a explicar como este livro se deve ler devagar. 
Obrigada à minha Mariana, que me questionou sempre nas coisas miseráveis e que não desistiu quando eu lhe disse que ia arriscar, mesmo se as coisas más me diziam para desistir. 
Obrigada à querida Joana e ao Leone, por terem estado comigo o fim-de-semana todo e por nunca me deixarem sucumbir aos nervos.
Obrigada à Carla que fez do seu Bolo Feio os brownies mais deliciosos que podiam existir, vestidos com a minha cor favorita e iguais às palavras que sempre me dirige, que me inspiram sempre a continuar, para um dia conseguir escrever tão bem assim.
Obrigada à Marta, que é tão parecida comigo e que me faz pensar em ser assim grande como ela.
Obrigada à Ana, que tem um coração tão grande, como o humor que veste de cara lavada, um coração maior ainda do que o seu sorriso. 
Obrigada à alegria da Ana Morais (instagram, blog), pelo seu apoio fotográfico e não só, por estar lá atrás, para o que fosse necessário.
Obrigada àqueles que me motivam a ser melhor, seja nas fotografias ou nas histórias, a nunca desistir de sorrir e de inundar o Mundo de amor, por serem tão bonitas como o tamanho dos seus sonhos: a Catarina, a Vanda, o José Luís, a Patrícia e o Jorge, a Joana, a Inês e tantos outros que nunca esquecerei, prometo. 
Obrigada a toda a gente que, com o maior carinho, foi lá ter comigo, mesmo quando já tinha o livro consigo, fez-me ficar nervosa e tão, mas tão feliz!

[fotografias: Inês Marcelo (instagram, site); Catarina Sanches (instagram, blog)]

Não estava à espera de todo este amor, a sério que não. Mas sei dar-lhe sentido. Gosto de pensar que este meu 12 foi a desculpa para que vocês arriscassem a serem felizes para sempre. Por isso, se as palavras ainda não forem suficientes, vejam só a minha cara radiante. 

Acreditem. Vale a pena.

10 comentários:

  1. Foi um momento muito especial, cheio de amor e sonhos como dizes :) a melhor parte foi sem dúvida ver te ao vivo e a cores e trocar algumas palavras contigo! Muita força Raquel, parabéns pela grande vitória, pelo teu sonho realizado! E que troquemos muitas palavras no futuro :)

    Beijinho do tamanho dos teus sonhos

    Ps-vou começar agora a ler o 12! :)

    ResponderEliminar
  2. a felicidade daquele fim-de-semana foi mais que muita :)
    obrigada eu por me deixares acalmar-te os nervos e rir contigo! Foi tão bom! Ouvir-te falar delicia-me, e fiquei mesmo feliz por ver aquela magia a acontecer. Tu mereces, mesmo com medo e receios seguiste o teu sonho e ele concretizou-se, e isso inspira-me muito. Mesmo muito.

    um beijinho carregadinho de saudades e um abraço apertado

    <3

    ResponderEliminar
  3. a mim já me cativaste <3 e ganhaste um espaçinho muito especial no meu coração, minha querida*

    obrigada por esse teu sorriso lindo e inteiro, por seres uma inspiração. nunca deixes de sonhar, mas sobretudo de acreditar :)

    *

    ResponderEliminar
  4. Tenho andado ausente daqui, mas o tempo para respirar tem sido pouco, no entanto tenho acompanhado com muita felicidade toda a tua aventura, fico muito, muito feliz. Mereces tudo isto e muito mais <3 já agora queria encomendar o teu livro :) *

    ResponderEliminar
  5. Ju, quando quiseres basta mandares-me um email ;)

    ResponderEliminar
  6. Percebo, agora, que ressaco o nosso abraço momentos antes do teu bonito lançamento. Ressaco mesmo.

    ResponderEliminar
  7. O tempo corrido sem pensar, limitar-me a escrever e deixar ficar, não me ajudou a medir datas. Eu sou fã do que escreves e do que fotografas. Esta apresentação, de resto, como a primeira, então no Porto, são-te merecidas. Como este livro, que merece o maior e o melhor percurso. Parabéns! Beijo :)

    ResponderEliminar
  8. Deixaste-me de lágrimas nos olhos... Que sorte tenho eu de te ter conhecido! E que sorte seres exactamente aquilo que eu imaginei! Beijo grande

    ResponderEliminar