07/07/2014

#222 a #233

Eu sei, passei muito tempo sem actualizar o blog dos meus dias fotográficos. Para todos os que se perguntam, ando a mil com o novo livro, que ainda está naquela altura chata (mas necessária) de pesquisar muito e orientar a história no sentido que eu quero. Cheguei ao ponto de achar que preciso mesmo de me isolar do Mundo virtual para me concentrar nos detalhes todos, mas há tanta coisa deste lado que é uma luta difícil. A ver vamos os próximos capítulos. 

Assim, aqui ficam os últimos 11 dias de #desculpashámuitas:

#222. Tradição

O dia de São João, na minha família, além das festas da cidade, significa também a festa do coração, pois a minha mãe faz anos e jantamos sempre juntos.
Este foi o pôr-do-sol que o celebrou e o bolo que nos acompanhou.

#223. Sabor

Sabor de outros tempos e de outras vontades. Sabor tipicamente português.

#224 . De pernas para o ar


O Vivi da minha Mariana, de pernas para o ar e feliz da vida. E eu sou muito mais feliz por ser rodeada destes amores.

#225 . Trabalho

(quase) Ninguém entendeu o meu humor negro. Estava a brincar com os trabalhos e entregas espirituais que se fazem aos deuses brasileiros e africanos, com sacrifícios de galinhas vivas e velas vermelhas. Este foi o frango que se comeu no dia seguinte e estava maravilhoso. (sim, eu sou parva)


Acabámos o dia com um belo concerto de jazz ao ar livre, de pés na relva e sorriso nos lábios. É bom aproveitar tudo o que nos rodeia, parar por um momento e respirar fundo.

#226 . Chave

Para um fim-de-semana perfeito, nada melhor do que um brunch de sábado para arrebitar ideias, encontrar os amigos e comemorar o tempo livre. O meu sítio de eleição, o Breyner, tem agora essa opção, com a ajuda da Ana e dos seus Petiscos e Miminhos. É um espaço a não perder!

Sábado também é dia de arrumações, de pendurar coisas nas paredes e de fazer umas mudanças em casa. Esta foi a chave que escolhemos para as orientações.

#227 . Garrafa

A garrafa de licor de chocolate que temos cá em casa é peculiar: é alta e espadaúda. Foi-nos dada pela nossa querida amiga Ana, mas ainda não tivemos coragem de experimentar.

#228 . Laranja

Ri-me muito depois de ter posto esta fotografia no Instagram, do nível cor-de-laranja que ainda anda pelas arrumações das mudanças cá em casa. Disseram-me: "isto é que é uma fotografia com nível!"

#229 . Quadrado


Uma das facilidades que temos quando trabalhamos em casa é que, de vez em quando, podemos ir ter com os amigos e partilhar os mesmos espaços, sair do nosso quadrado e ir até ao do nosso vizinho. 

Este foi o dia em que fui, na companhia do Fred, visitar a minha amiga Raquel, o gato Bubas e a gata Alice, dois dos meus Macacos no Sótão e que estarão aqui no blog em breve. É que, caso ainda não tenham percebido, eu ando a dedicar-me à fotografia de animais e não há nada melhor do que mostrar as companhias dos meus amigos. E sim, a gata Alice é um sonho.

#230 . Lista de compras

Se pudesse escolher o que me faz falta numa lista de compras, estes eram os itens escolhidos.

#231 . Lápis

Não tenho jeito nenhum para desenhar, mas segundo me disseram já mais do que uma vez, o segredo é treinar (e nunca desistir). Ainda assim, deixo o desenho para quem sabe.

Fui conhecer a querida Sofia Mota, uma das meninas mais queridas do Instagram e que destaquei já por aqui, nas inspirações do #desculpashámuitas. É bonita, doce e sensível, mesmo como eu imaginava e, por isso, adorei. Ficou a promessa de repetirmos em breve e vou cumprir. 

#232 . Prateleira

Mais um sábado, mais um brunch no Breyner. Este estava particularmente delicioso.

Fomos (Oh Honey) tocar no Hard Club pela primeira vez. Estávamos nervosos e tínhamos alguns receios de não conseguirmos preencher aquele espaço tão mítico com a nossa música, mas, se há coisa que aprendemos é que, quando se faz o que se gosta e de coração em punho, não há nada que não se consiga fazer. Tivemos direito a surpresas bonitas de amigos queridos e fizemos história. Foi incrível.


O Pinóquio e as suas aventuras é um dos livros mais antigos que habita nas minhas prateleiras e é também um dos meus favoritos de sempre. Há qualquer coisa de reconfortante nos livros infantis, pois aprendemos sempre algo para a vida e este não é excepção. Para quem não conhece esta versão, por favor corram a lê-la. Prometo que não se vão desiludir.

#233 . Azulejo

Gosto de coisas imperfeitas, pois me lembram que isso é o que acredito que seja a perfeição.


Domingo é dia de ronha no sofá e de mimos destes olhos, os da minha Badu. Falo a sério quando pergunto: alguém tem o contacto da Disney?

Espero que tenham gostado dos meus dias fotográficos. Vou tentar ser mais assídua a mostrar-vos por aqui, mas já sabem que podem sempre contar com o meu Instagram! :)

2 comentários:

  1. hahaha o que já me ri à pala do trabalho, sem duvida a fotografia dos desculpas há muitas mais criativa!
    Desejo-te uma semana produtiva, esperando que a historia do teu livro vá na direção que desejas.

    ResponderEliminar
  2. No que respeita às fotografias, fazendo por não me repetir, não há mais a acrescentar, senão que gosto de todas. O S. João, logo em primeiro lugar, é um dos meus desejos. Nunca tive oportunidade de vivê-lo no Porto. Tenho essa vontade e curiosidade.
    A fotografia do Trabalho, pelo humor particular, que foge ao óbvio e pela mensagem subjacente, é uma das minhas preferidas.
    Por fim, o azulejo. Gosto bastante de azulejos. Neste caso, também pelo pormenor de ter esse ar tosco.
    Um beijo.

    ResponderEliminar