05/08/2014

Inspirações há muitas #10 . a Marcela Ceia

É fã das cores fortes e das emoções intensas como aquilo que vive à flor da pele. É impossível passar despercebida ao olhar de quem passa por ela, porque ela exige todas as atenções, mesmo sem falar. E, por isso, aqui vos venho falar da Marcela e das suas inspirações.

Nasceu há 22 anos em Viana do Castelo, palco dos seus amores, mas tem casa em Moledo do Minho, uma pérola nortenha, terra do sol abundante, do cheiro a maresia, das ventanias e dos suspiros sem fim. Foi aí que viveu e criou as suas raízes até ingressar na faculdade.

(temas: carro, 10h30, chão, eu, preto e branco, natural)

Sempre gostou de muitas coisas e teve interesse nas mais variadas áreas, desde desenhos aos objectos das retrosarias, do basquete à capoeira, da fotografia à escrita, sempre fundamentada na música que lhe dita cada passo. Não queria escolher uma preferência específica, já que tinha vontade de conhecer tudo, dar aso à enorme diversidade de coisas que a interessavam. Numa adolescência tão dinâmica como a sua, percebeu que seria difícil de eleger a área onde iria estudar, pois, para isso, teria de deixar alguns dos seus gostos de parte. Assim surgiu a Medicina na República Checa, o país que lhe dá a morada e a ensina a ser maior.

(temas: distância, amigo, feliz, patas, caixa, riscas)

(temas: cheiro, olhar, casa, água, dedos, vício)

Muita gente pergunta o porquê desta sua opção, de sair de casa e ir para tão longe, mas mais do que a razão da média (que é claramente mais baixa na República Checa), a Marcela sentiu a enorme necessidade de seguir este seu sonho de ser médica, de ajudar os outros, de imprimir a sua marca no Mundo. Além disso, a faculdade lá é privada, o que implica um exame de admissão e, no caso de passar, outros exames todos os anos, que tem de ter boa nota para não correr o risco de expulsão. Por tudo isso, a adaptação a este novo país não foi fácil, pois era muito nova e não era só a distância que lhe forçava a dificuldade, mas também o estudo que lhe exigia muita atenção e fazia muita pressão. No entanto, as coisas foram mudando e agora, no final do terceiro ano, já não se imagina a fazer outra coisa.

Naquele país, descobriu uma nova casa, um novo lugar onde se encontra todos os dias com uma parte de si. E, nas fotografias que mostra no Instagram, ensina-nos também a apreciar este sítio que já é um pouco seu. É muito nova, mas sente-se como uma verdadeira afortunada, por ter vivido já tantas experiências e tão diferentes, que lhe fizeram ver a vida de outra forma e dar valor ao que é português, à nossa cultura, às nossas pessoas. Neste momento já tem uma certeza: terá sempre a sua origem, mas sente que o Mundo é a sua casa.

(temas: primeira, bigode, azul, a começar por E, cartaz, calor)

(temas: pequeno, areia, canto, lanche, trabalho, laranja)

Dos seus amores, falo-vos também da sua fotografia, o motivo pelo qual cheguei até ela. Surgiu-lhe aos 14 anos, quando descobriu o Photoshop, a manipulação das cores, dos efeitos mais distintivos aos contrastes mais singulares. Na altura, era na era digital que se sabia mexer, fazia fotografias para o jornal da escola e assim continuou até encontrar a sua vertente analógica, lugar onde se mantém até hoje. Gosta da surpresa, de definir o tipo de rolo para o efeito que gosta e é nisso que se define.

Mais recentemente, adquiriu um telemóvel que lhe permite ingressar no fabuloso mundo do Instagram, uma reunião artística e onde todos vivem no seu estado mais puro e inspirado. A mim, que sou uma amante das cores no seu estado mais sincero, chamou-me a atenção pela enorme capacidade que tem em retratar o céu da sua matiz mais única.

O seu estado de humor balança a toda a hora, esteja ela nostálgica ou mais atrevida, dependendo do tempo ou da sua vontade. O mais constante da vida é a sua música, o seu comprimido diário, como a primeira e a última coisa dos seus dias. Não resiste a cores fortes, a detalhes de uma parede ou uma janela, mas também àqueles que a rodeiam, que a fazem ser mais e melhor, ver o Mundo por outro lado, e por outros olhos.

(temas: prateleira, passeio, fresco, longe, pergunta, zoo)

Afirmo com toda a certeza que é fácil gostar da Marcela, pois ela é mesmo das minhas inspirações favoritas, pela intensidade com que vive a vida. Para além disso, ela leva-nos a passear com ela até ao seu Mundo, apresenta-se com as cores da sua imaginação e define-se na sua característica especial, rara, singular. Tão própria como o ar que respira, como um fôlego quente que se faz sentir e permanece na nossa memória, tão invulgar como notável. E é tão bonita, assim mesmo, sem reparar.

Conheçam o Instagram dela, digam-lhe olá e fiquem abismados com as suas fotografias do céu. :)

4 comentários:

  1. <3 para a Marcela e <3 para a Raquel!
    :)

    ResponderEliminar
  2. É tão bom conhecer um pouquinho de quem está atrás da lente! Ainda mais pelas tuas palavras :)
    e que bonita galeria, a da marcela <3

    ResponderEliminar
  3. Mais uma conta para a minha lista, não é verdade? :) Obrigada *

    ResponderEliminar