16/09/2014

Férias e #aijesusaljezur

Como vos disse, fui de férias. A opção que tomei foi de produzir muito pouco (ou mesmo nada), de me desligar das redes sociais e da vida online, que tanto me ocupa os dias normais. Quase nunca faço isso, pelo menos não totalmente. Mesmo quando digo que vou desligar, estou sempre atenta e, aos domingos, dou por mim a conversar sobre o livro, a tirar fotografias para o blog, a fazer render os momentos que supostamente devia estar mais quieta e a descansar.

Portanto, a opção era simples: ir com uns amigos para um sítio solarengo e libertar-me dos afazeres. Demoro a entrar de férias, tenho de ter o meu tempo para desabituar-me a estar sempre presente, pois acho sempre que vou fazer muita falta se não estiver por cá. Desta vez foi automático, por isso sei que estava mesmo a precisar deste tempo a solo. Foram férias para tudo, para me rir muito, para ficar horas ao sol e ainda mais horas dentro de água, para jogar cartas sem tempos contados, para pregar partidas aos amigos, para abraçar o maridão e a cadela, para rasgar o sorriso quando ela fazia a festa para as pessoas do meu coração, para dormir a sesta que normalmente me faz ficar irritada, mas que nas férias só me alinhou os descansos, para esquecer o telemóvel e os registos automáticos, para não me sentir presa a nada. E soube-me pela vida.


Durante estas férias, criámos um novo hashtag, #aijesusaljezur, onde registámos todos os nossos dias, pela perspectiva de cada um dos 11 que esteve naquela casa em Vale da Telha. Fizemos alguma inveja, mas, acima de tudo, fundámos memórias para mais tarde recordar.

Confesso que pensei que voltaria com um ritmo novo, que ia reflectir neste ano e que regressaria com vontade de fazer muitas coisas, de vos inundar com algo novo e muito inspirador, mas as férias estragaram-me os planos. Ocuparam-me a mente e o coração, preencheram-me. Não me posso (nem devo) queixar, que os dias foram muitos e longos, cheios de gargalhadas e muitos mergulhos para limpar todo o cansaço que andava acumulado. Mas não fiz planos, não me sentei no alpendre a pensar no futuro, não tirei uma hora por dia para desenhar estratégias para este recomeço. Tinha a melhor companhia do Mundo e aproveitei-a. Deixei tudo o resto para depois. 


A verdade é que cheguei e, depois de tanto tempo sem fazer nada, não me apetece fazer nada. Tenho uma vontade absurda de fugir novamente ou de me enfiar a escrever e não dizer nada a ninguém. Mas tenho saudades vossas, dos comentários meigos e dos mimos que me vão dando, mesmo se passo algum tempo sem dizer nada. Por isso mesmo, vou regressar lentamente, como me apetece, pé ante pé e sem fazer grandes planos. Até lá, vou só ver as fotografias todas mais uma vez. :)


[e outra.]

P.S. Esta é uma escolha apenas das fotografias dos amigos que foram comigo. Amanhã trago-vos o meu 365, o #desculpashámuitas e os meus momentos fotográficos dos últimos tempos. E, em breve, as delícias analógicas em médio formato e outras. 

7 comentários:

  1. Gosto de saber das reacções a esse lugar especial. Vivo, desde há muito, as tuas palavras sobre esse paraíso. Aljezur, o Vale da Telha e o Monte Clérigo em concreto, não têm defeito. Por mais que volte, vou sempre encontrar o mesmo lugar, com novidades que vivem desde sempre.
    Gosto tanto, que não me sobram palavras. Ficam as ideias. Tenho tantas, infindáveis e felizes memórias. Por mais que escreva ou fale sobre Aljezur e o Monte Clérigo, ficar-me-á sempre a sensação de ser somítico no relato sobre tanto conteúdo.
    Um beijo :)

    ResponderEliminar
  2. Isso sim é que são férias, fizeste tu muito bem, aposto que vens renovada e aos poucos acabas por entrar no ritmo.

    Essas vossas fotografias todas fazem mesmo MONTES de inveja, não só porque são lindas de morrer, mas porque nos fazem ficar cheios de vontade de ir para um sítio assim :) *

    ResponderEliminar
  3. precisar de fazer tudo pé ante pé depois das férias é mesmo bom sinal :) boa rentrée! :)

    ResponderEliminar
  4. Que coisa boa!!! Para o ano quero ir convosco! Lá estou eu com esta mania de me intrometer! :D Mas curiosamente foste para um sítio que conheço, que foi o primeiro sítio que conheci na Costa Vicentina. Fui acompanhando as vossas fotografias e muito honestamente acho que fizeste o que melhor poderias ter feito no mundo, que foi aproveitar a 200% as pessoas que te são tanto, de uma forma completa e inteira. Podes não ter regressado com a maior vontade do mundo de fazer mil e uma coisas novas, mas certamente carregou baterias, te refrescou, e deu energia para as próximas férias! Custa a regressar ao ritmo, muitas vezes fico na dúvida, se é pior o último dia antes de ir ou o primeiro quando se regressa com tanta coisa que há para fazer. Mas que seja uma dúvida das boas! Um beijinho enorme e regressa ao teu ritmo, nós cá estaremos sempre prontos para te ler e sentir esse sorriso rasgado!

    ResponderEliminar
  5. por favor, vamos voltar! eu fujo contigo <3

    muitas mas muitas saudades. estou deserta de estar com vocês!

    ResponderEliminar
  6. Real: as tuas palavras são sempre tão doces que só me posso deliciar com elas. Obrigada!

    Ju: é muito fácil e prático ir de férias connosco e para esta zona, não é preciso teres inveja. E garanto-te que também é muito barato! :)

    Joana: é difícil ser de outra forma. É respeitar a ordem natural das coisas. :)

    Claudia: a vontade vai voltando e eu vou suspirando, enquanto oriento o resto da vida. Tudo no seu devido lugar. Obrigada pelo mimo e arrancaste-me mais um sorriso!

    ResponderEliminar
  7. O azul predomina! Não vieste a Lagos? ^_^

    ResponderEliminar