07/10/2014

Terapias Expressivas: Como perceber um Flirt

Aviso: este post não é só para românticos. Todos nós já tivemos destes erros do coração.

Já alguma vez tiveram uma altura na vida em que deixaram passar um momento em que simplesmente não estávamos atentos aos sinais de paixão? Ou que não sabiam se, do lado oposto, havia interesse genuíno ou reacção aos nossos impulsos amorosos? Se a resposta é sim, este é um tema para vocês.

Para aqueles que acham que este tema pode ser despropositado, porque estas coisas percebem-se logo e é mais do que óbvio, a verdade é que não é assim tão simples. Se às vezes as intenções são claras e indubitáveis, noutras é realmente muito difícil de perceber.

Na sua definição, o flirt é uma comunicação que assinala atracção. No entanto, como a maior parte das pessoas não reage bem com uma rejeição directa, exprimem interesse por estratégias indirectas de flirting, como as provocações, as brincadeiras ou simplesmente as acções afectuosas e amigáveis normais.

Desta forma, nem sempre é fácil de perceber as ideias por detrás destes comportamentos, principalmente quando a atracção física faz parte da equação, já que, quanto mais físicos forem os intervenientes destes convívios, mais aptos são para a sedução. Porém, o simples facto de acharmos alguém interessante ou atractivo não quer dizer obrigatoriamente que interpretemos os seus actos como flirt, ou que o outro nos veja dessa maneira. Numa curiosidade proeminente, os homens são melhores a detectar flirt - 36‰, comparados com os 18‰ das mulheres -, mas, ainda assim, muito maus nesta conclusão.

Posto isto, será que andamos a perder romances e histórias-de-amor? Será que andamos demasiado ocupados para notar nos assuntos do coração?

Mas as notícias são boas. Há, contudo, algumas dicas para ver se o flirt existe. Vejamos:

1. Sinais não verbais
A linguagem não verbal/corporal é capaz de gritar aquilo que não visível pelas palavras. Assim, existem alguns vestígios bem claros que sugerem o romance: sorrir, inclinar-se para a frente enquanto existe uma conversa e toca na outra pessoa e manter o contacto ocular, entre outros.

2. Linguagem verbal
O interesse sexual está frequentemente impregnado nos elogios, nas referências abertas ao facto de se ser solteiro e disponível para ter relações, assim como no uso de insinuações sexuais ligeiras.

3. O contexto
O flirt ocorre mais facilmente em situações sociais, em que as pessoas falam abertamente umas com as outras. Ao mesmo tempo, prevalece o uso do álcool como lubrificante social clássico e os interesses comuns, como um local de encontro para pessoas que pensam de maneiras similares.

4. Estilos diversos de flirt
É certo e sabido que diferentes personalidades induzem géneros distintos na maneira como comunicamos a atracção.

. Tradicionais - os introvertidos tendem a ser cautelosos e educados quando estão numa festa, num bar, ou numa situação social e não tentam "engatar" num supermercado.

. Físicos - usam bastante linguagem corporal e brincam numa variedade de contextos.

. Divertidos - menos moderados e atenciosos, estes são mais físicos e tendem a ser altamente extrovertidos, mandando a cautela às urtigas. Da mesma forma, não são tão sinceros quando o contexto não se adequa ao objectivo (por exemplo, num supermercado), mas são muito honestos numa situação de speed dating.

. Sinceros/Polidos - preferem ser apresentados a alguém, ao contrário de iniciarem contacto com essa pessoa, além de serem cuidadosos na aproximação.

Por fim, para chegarmos a um desfecho relativamente à existência (ou não) de interesse nestas interacções, exige-se a resposta às seguintes perguntas:

- As acções são consistentes da nossa parte? (Existe flirt sempre que vemos esta pessoa?)
- E da outra parte? (Como reage? É diferente/distinto dum momento para o outro?)
- Qual é a nossa atitude habitual? (Existe consenso na relação dos outros com este? Se, por exemplo, a pessoa é divertida com toda a gente e não só connosco, pode querer dizer que não há atracção da parte dela e que ela é mesmo assim.)

Como vemos, não é fácil perceber algumas estratégias de sedução. As pessoas são todas diferentes e, por vezes, podemos fazer confusões com o nosso coração. No entanto, a verdade vive nas respostas às perguntas anteriores e, se a consistência é alta (a nossa reacção é sempre - ou quase sempre - a mesma), se a distinção é alta (a pessoa muda quando está connosco) e se o consenso é baixo (o outro só reage dessa forma connosco), é sinal que a relação é especial. E, quando há uma sorte destas, há amor no ar.

3 comentários:

  1. Ahah que post engraçado :) Acho que o bom flirting é das coisas melhores da vida :)

    ResponderEliminar
  2. eu acho que não consigo flirtar! isto é, se estiver interessada em alguém, fico demasiado nervosa para interagir sem gaguejar ou dizer merda ou sei lá. vejo o flirt como algo constrangedor, embaraçoso... e quando o fazem comigo, perco a paciência porque vejo tudo como um "joguinho" escusado com base em indirectas cliché. será que sou doida?!

    ResponderEliminar