30/10/2014

Terapias Expressivas: a Psicologia das Cores

Muitas são as pessoas que se interessam pelo estudo das cores, dos seus efeitos, atribuições e associações no ser humano. Com ligação directa à Psicologia Ambiental, hoje falo-vos da Psicologia das Cores, do modo como as vivemos e como cada uma delas reage connosco.

Então, o que é a cor? Segundo evidências científicas, as cores não são mais do que reflexos de luz. A luz de diferentes cores entra pelos nossos olhos e é percepcionada pelo cérebro, que a categoriza e identifica, pondo-a na sua "gaveta" específica e conhecida como determinada cor. Desta forma, as cores influenciam o centro das emoções, por isso a resposta a cada uma é diferente entre pessoas, pois interferem com o tipo de personalidade, das circunstâncias e experiências de vida, dos desejos ou processos mentais mais íntimos, profundos e até inconscientes de cada um.

Por outro lado, as cores também não são as mesmas em culturas diferentes. É importante referir que as diferentes culturas podem ter nomes diferentes para determinada cor e, por isso, observam-na e classificam-na duma maneira distinta. Um exemplo disso é o vermelho, que na Europa e na América do Norte significa amor e paixão, mas também perigo ou poder, na Rússia simboliza o partido comunista, na China é a cor do ano novo, da celebração, da boa sorte e da felicidade, na Índia une-se à pureza (as noivas vestem-se de vermelho), no Japão mostra a vida, no México simboliza religião e em vários países africanos significa a morte ou a agressão.

Porém, na cultura onde nos inserimos, as cores assumem algumas características que, associadas ao ambiente, podem optimizar os comportamentos desejados. Com autoridade nos componentes físicos, mentais e emocionais de cada pessoa, são muito usadas na publicidade ou no marketing, na medida em que se descobrem quais são as cores que devem ser utilizadas, para que determinados produtos cheguem com mais eficiência ao público-alvo. Assim, existem algumas verdades que, na cultura portuguesa, podemos afirmar relativamente à nossa percepção das cores:

Vermelho
É a primeira cor que o ser humano vê e é sinónimo de amor, força, valor, atracção, calor, energia, paixão, proximidade e desejo, mas também o proibido, a morte, o pecado, a tentação, a violência e o sangue. Simboliza a atracção a coisas novas, motivação. Como cor quente, nas terapias que a usam estimula a vitalidade e o sistema nervoso, promove aquecimento e ajuda na circulação sanguínea. Nas roupas, atrai o olhar e chama a atenção, aliada à acção e ao drama.

Laranja
É uma cor terciária, resultante da junção do vermelho com o amarelo. Associada à euforia, expansividade e afirmação, é mais construtiva que o vermelho, pois representa um entusiasmo com vivacidade impulsiva e natural. É igualmente uma cor quente, por isso estimula o sangue e influencia funções mentais (duma forma engraçada, é a cor de Psicologia). Significa comunicação, movimento, boa saúde, vitalidade e criatividade. Na roupa, atribui-se a pessoas afirmativas, corajosas, conversadoras e com sentido de humor contagiante.

Amarelo
É a cor mais contraditória, pois é associada a coisas tão boas como más. Alia-se ao optimismo, à alegria, ao calor e ao Verão, mas também ao nojo, à mentira e à inveja. Sendo primariamente ligada ao sol, à luz e à esperança que tudo correrá bem, na terapia é capaz de reforçar o sistema nervoso, músculos e o coração, facilita funções corporais e é usada no tratamento das articulações. É a cor ideal para dar a sensação de calor a espaços frios, mas, uma vez em excesso, pode provocar distracção ou ansiedade. Nas roupas, é utilizada como forma de atrair a luz e implica autoridade, alguém intelectual ou estudioso.

Verde
Cor da esperança, do equilíbrio, da tranquilidade, da fertilidade, do crescimento, da liberdade e abraça a natureza e a vitalidade, a frescura. Ao mesmo tempo, combina com veneno, inveja, raiva, imaturidade e falta de juventude. É a cor do dinheiro, por isso também se atribui à segurança, à protecção, à avareza, ao preconceito e ao egoísmo. Na terapia, tem um efeito sedativo, relaxante e calmante, sendo apropriada para usar nos casos de bronquite e asma, para "respirar verde". Na roupa, cria um ambiente calmo, equilibrado e suave, associada a tipos convencionais, que gostam da natureza, do que é certo e de não destoar ou sobressair.

Azul
Na generalidade ocidental, é a cor preferida de homens e mulheres e significa tranquilidade, serenidade, calma e harmonia, mas também frieza, monotonia e depressão. É a cor do céu e do mar, da esperança que tudo fique como água, que tudo fique tranquilo e sereno. É associada à aristocracia -(sangue azul), à imponência e à realeza. Como uma cor fria, nas terapias é usada para diminuir a circulação sanguínea, reduzir a temperatura corporal e baixar a pressão arterial, mas também para acalmar e sossegar. É utilizada em ambientes formais, mas também em quartos, por facilitar o relaxamento e promover a tranquilidade. No entanto, em excesso pode causar sonolência, por isso é bom que seja combinada com outras cores. Para as artes, estimula a criatividade.

Cor-de-rosa 
Significa romantismo, ternura, ingenuidade, beleza, suavidade, pureza, fragilidade, delicadeza e está associada ao elemento feminino ou homossexual. É a cor das emoções, dos afectos, do companheirismo e romance. Representa algo que está ligado ao coração, à fantasia, ao encantamento e ao mundo mágico vivido pelas princesas dos contos de fadas, por isso também se associa à infância feminina, à meiguice e à doçura. No sentido figurado, significa feliz ou próspero, como o futuro ou os sonhos cor-de-rosa.

Roxo/Violeta
É uma cor fria ligada ao mundo místico e à noite, que significa espiritualidade, religião, magia e mistério. Transmite tristeza, introspecção e transformação, pois proporciona a purificação do corpo e da mente, a libertação de medos e outras inquietações, sendo, por isso, ideal para locais de meditação. Para os católicos, categoriza-se como melancolia, penitência, igreja. Na terapia, tem propriedades bactericidas e relaxantes.

Preto
É a cor mais escura do espectro, por isso é denominada como a ausência de cor ou como ausência de luz, já que absorve todos os raios luminosos e não reflecte nenhum. Simboliza a morte, o fim, o ódio, o respeito, o isolamento, o medo, a solidão, a maldade, a sujidade, o azar, a tristeza e reverência. É também associada à elegância ("com um vestido preto nunca me comprometo"), dignidade, individualidade, luxo e sofisticação, sendo usada em roupas como sinal de classe. Na música, significa algo pesado e obscuro. Se usada na roupa num dia de calor e tendo em conta que absorve toda a luz solar, a pessoa terá ainda mais calor. Existem também preconceitos com a cor preta, pois diz-se que ver um gato preto dá azar.

Branco
É a junção de todas as cores e significa paz, pureza, limpeza, começo e ressurreição, perfeição, início, inocência, esterilidade e honestidade. É também mencionada como "cor de luz", pois, ao contrário da cor preta, reflecte todos os raios luminosos. No Ocidente, significa alegria, enquanto que no Oriente está associada à morte e aos estados de luto. Um ambiente branco proporciona frescura, calma e dá ideia de maior espaço, proporcionando a sensação de liberdade. Em excesso, pode dar a impressão de frieza, vazio e impessoalidade, por isso, sugere-se a conjugação com objetos coloridos. 

Como vimos, as cores influenciam em grande parte as pessoas que usam e escolhem, os seus comportamentos e as suas emoções. Hoje, sabe-se também que não se escolhe uma cor só porque ela é boa, mas porque se gosta dela, mesmo se ela é contrária às nossas necessidades. No entanto, não existem verdades absolutas em relação a este tema, pois a mesma cor pode significar coisas diferentes para pessoas distintas. E, apesar de ser um tema curioso, esta é apenas uma lista de factos verificados e de sugestões interessantes, pois nada na vida é absolutamente mau ou bom, preto ou branco. No fundo, vivemos num mundo de adoráveis cinzentos. E que bom que é. :)

E vocês? O que acham desse lado? 

Sem comentários:

Enviar um comentário